João Sousa cabeça-de-série no Open da Austrália

Por admin - 11 Janeiro, 2016

ATP

Novo ano… velhos hábitos? Esta é talvez a pergunta que deve estar na cabeça dos fãs de ténis (nós, portanto) após terem visto Novak Djokovic levar de vencida Rafael Nadal na final de Doha, no passado sábado.

Era de facto difícil o sérvio melhorar a sua pontuação após uma temporada de 2015 estrondosa, mas o incontestado número um mundial tem agora, à data de hoje, pelo menos a final alcançada em todos os torneios que disputou nos últimos doze meses (havia sido apenas quarto-finalista na capital qatari em 2015). Quanto à sua pontuação, “Nole” aumenta mais de 200 pontos a sua vantagem sobre o vice-líder Andy Murray, estipulando um novo máximo na hierarquia masculina.

Tiveram ainda lugar dois outros torneios na semana transacta, estes mais perto do palco do primeiro torneio da Grand Slam da temporada que terá início no próximo dia 18. Em Chennai, Stan Wawrinka derrotou Borna Coric para elevar o troféu de campeão do torneio indiano mas o maior destaque vai provavelmente para o jovem croata, que se tornou tenista mais jovem da década a chegar à final de um evento ATP e sobe esta semana no ranking.

Já na Oceânia, em Brisbane, Milos Raonic surpreendeu ao superar Roger Federer e começa, assim, 2016 com o seu oitavo título da carreira. A vitória do canadiano não é, porém, assim tão inesperada, dado todo o potencial que tem evidenciado desde que, há cinco anos, ‘furou’ o qualifying do Open da Austrália para alcançar a quarta ronda da prova, ao que se junta a fase descendente da carreira que Federer começa a atravessar; Raonic, ex-top4, chegará como 14º tenista mundial à edição deste ano do Happy Slam.

Destaque, ainda, para a subida de Illya Marchenko. O ucraniano foi semi-finalista em Doha, onde só caiu para Rafael Nadal e derrotou o campeão em título David Ferrer na ronda inaugural – ultrapassado esta segunda-feira por Kei Nishikori -, escalando desde o 94º para o 78º posto e protagonizando a maior subida dentro dos cem primeiros.

1. (1) Novak Djokovic (Sérvia), 16.790 pontos
2. (2) Andy Murray (Grã-Bretanha), 8.945 pontos
3. (3) Roger Federer (Suíça), 8.165 pontos
4. (4) Stan Wawrinka (Suíça), 6.865 pontos
5. (5) Rafael Nadal (Espanha), 5.230 pontos
6. (6) Tomas Berdych (Rep. Checa), 4.560 pontos
7. (8) Kei Nishikori (Japão), 4.235 pontos
8. (7) David Ferrer (Espanha), 4.055 pontos
9. (9) Richard Gasquet (França), 2.850 pontos
10. (10) Jo-Wilfried Tsonga (França), 2.635 pontos

40. (44) Borna Coric (Croácia), 1.066 pontos
78. (94) Illya Marchenko (Ucrânia), 688 pontos


WTA

Victoria Azarenka está de regresso aos títulos! A antiga líder da hierarquia mundial – antes da atual Serena Williams, precisamente – começou 2016 da melhor maneira ao sair invicta de Brisbane, o primeiro torneio combinado da temporada, derrotando na final Angelique Kerber pela sexta vez em seis duelos entre ambas.

Este (bom) resultado assegura a Azarenka, campeã do Australian Open em 2012 e 2013, uma importante subida para o décimo-sexto posto da hierarquia – assegurando que não enfrentará nenhuma das tenistas melhor classificadas antes da quarta ronda da edição deste ano do AO. Kerber também é protagonista uma subida interessante, ao trocar diretamente de posição com Venus Williams e passar do 10º para o 7º lugar.

No mesmo continente, mas num país diferente, Sloane Stephens foi outra das vencedoras da semana. Em Auckland, a semi-finalista de 2013 do Happy Slam ultrapassou Julia Goerges para conquistar o evento local e inicia a semana subindo quatro posições na hierarquia.

Na China, Agnieszka Radwanska parece ter mantido a boa forma com que terminou a temporada passada e sagrou-se campeã em Shenzhen, onde foi mais forte que a jovem germânica Anna-Lena Friedsam na final do torneio – levando a que, e a juntar a Julia Goerges na Nova Zelândia, as três finalistas derrotadas da semana sejam todas originárias da Alemanha.

Com este triunfo, a polaca ultrapassa Maria Sharapova e regressa ao top4. De resto, nota ainda para a descida de Ana Ivanovic, derrotada na ronda inagural em Auckland e saindo esta segunda-feira do top20 mundial.

1. (1) Serena Williams (EUA), 9.945 pontos
2. (2) Simona Halep (Roménia), 5.880 pontos
3. (3) Garbiñe Muguruza (Espanha), 5.200 pontos
4. (5) Agnieszka Radwanska (Polónia), 4.670 pontos
5. (4) Maria Sharapova (Rússia), 4.542 pontos
6. (6) Petra Kvitova (Rep. Checa), 4.111 pontos
7. (10) Angelique Kerber (Alemanha), 3.710 pontos
8. (8) Flavia Pennetta (Itália), 3.621 pontos
9. (9) Lucie Safarova (Rep. Checa), 3.590 pontos
10. (7) Venus Williams (EUA), 3.511 pontos

16. (22) Victoria Azarenka (Bielorrússia), 2.745 pontos
22. (16) Ana Ivanovic (Sérvia), 2.341
26. (30) Sloane Stephens (EUA), 1.965 pontos


Portugueses

O número um nacional João Sousa, que enfrentará Fabio Fognini na primeira ronda de Auckland para começar oficialmente a temporada, está confirmado como cabeça-de-série no “Grand Slam da Ásia e do Pacífico”. Tal como avançado pelo seu site de ténis, Sousa está hoje classificado como 33º tenista mundial mas a ausência de Richard Gasquet do torneio, por lesão, leva o melhor tenista português da história a tornar-se no primeiro do nosso país a defender esse estatuto em Melbourne.

33. (33) João Sousa, 1.191 pontos
135. (133) Gastão Elias, 441 pontos
298. (298) Frederico Ferreira Silva, 168 pontos
318. (320) Rui Machado, 150 pontos
499. (498) João Domingues, 75 pontos


Portuguesas

A número um nacional Michelle Larcher de Brito, recuperada de uma lesão que a fez perder a segunda metade da temporada passada – e que deu uma entrevista ao jornal A Bola onde fala sobre os seus objetivos para a temporada – sobe quatro lugares esta semana na hierarquia, enquanto Inês Murta melhora uma posição, Mafalda Fernandes escala três postos e as restantes portuguesas presentes na hierarquia WTA mantêm as suas posições.

222. (226) Michelle Larcher de Brito, 224 pontos
791. (792) Inês Murta, 19 pontos
898. (898) Joana Valle Costa, 13 pontos
931. (931) Maria João Koehler, 12 pontos
1183. (1187) Mafalda Fernandes, 5 pontos