No limite! Zverev salva match point contra valente Baez e sobrevive em Roland Garros

Por Pedro Gonçalo Pinto - Maio 25, 2022

‘Why not me?’ foi o lema de Sebastian Baez no Millennium Estoril Open. E a verdade é que, em Portugal, foi mesmo ele. E por que não ele a ser o protagonista de um enorme choque em Roland Garros e eliminar Alexander Zverev? Bem… Porque não aproveitou o match point no serviço de Zverev quando vencia por 5-4 no quinto set.

O jovem argentino liderou por dois sets a zero com uma exibição de luxo, antes de o número três do Mundo acordar da letargia, forçar o quinto set e sobreviver. Contas feita, o exercício de sobrevivência de Zverev escreveu-se com os parciais 2-6, 4-6, 6-1, 6-2 e 7-5, em mais de três horas e meia.

A história dos quatro primeiros sets é relativamente fácil de contar. Um Baez muito sólido e um Zverev que cometia erros à medida que respirava. Mas com os olhos postos em conquistar finalmente um título do Grand Slam, Sascha elevou o nível para chegar a essa quinta partida já mais complexa. É que aí encontraram-se os dois com qualidade a equiparar-se. Baez chegou a quebrar e liderar por 4-2, mas sofreu logo o contra-break, antes de ter o match point a 5-4. Não o aproveitou e Zverev fê-lo pagar bem caro. Agora prepara-se para Brandon Nakashima ou Tallon Griekspoor.

Entre as outras figuras da jornada, nota para a eliminação de Taylor Fritz. O norte-americano já tinha passado mal na primeira ronda contra Santiago Rodríguez Taverna, mas agora não conseguiu mesmo evitar o adeus frente ao espanhol Bernabe Zapata Miralles, carrasco de Gastão Elias no qualifying. O 14.º do ranking ATP saiu vergado pelo 131.º, com os parciais 3-6, 6-2, 6-2 e 6-3, em 2h19. Fritz disparou 43 erros para apenas 26 winners, enquanto Zapata se mostrou mais equilibrado com 24 winners e 20 quatro erros não forçados.

Quem evitou dramas foi Cameron Norrie, sempre com o seu nível médio alto para seguir para a terceira ronda. O britânico, número 11 do Mundo, ultrapassou Jason Kubler — que eliminou Pedro Sousa à porta do quadro –, com os parciais 6-3, 6-4 e 6-3, mesmo tendo estado com break de desvantagem no segundo e no terceiro sets. Segue-se Karen Khachanov, que bateu Hugo Dellien em quatro partidas.

Pedro Gonçalo Pinto
Comentador Sport TV e ligado ao Jornal Record. Ténis acima de tudo.