Svitolina recusa-se a defrontar russas e bielorrusas (ia jogar com uma) enquanto recomendações do COI não forem aceites

Por José Morgado - Fevereiro 28, 2022
svitolina

Elina Svitolina, melhor jogadora ucraniana de todos os tempos e uma das principais figuras desportivas do país, revelou esta segunda-feira que não irá entrar em court no WTA 250 de Monterrey para defrontar a russa Anastasia Potapova esta terça-feira enquanto as entidades do ténis (WTA, ITF e ATP) não clarificarem a sua posição em relação ao conflito armado que se vive na Ucrânia.

Nas últimas horas, o Comité Olímpico Internacional (COI) aconselhou as diferentes federações desportivas a excluírem as equipas, seleções e atletas russos e bielorrussos de todos os eventos internacionais, mas modalidades como o ténis ou o ciclismo, por exemplo, vivem situações únicas, uma vez que os jogadores não representam os seus países durante boa parte do ano. As Federações e entidades podem, no entanto, forçar os atletas a combaterem ‘debaixo’ de bandeira neutra e será apenas isso que Svitolina deseja que aconteça.

“Espero que as nossas entidades aceitem as recomendações do COI e forcem os atletas desses países a competir sob bandeira neutra e sem mostrarem qualquer tipo de símbolo dos seus países. Não culpo os atletas russos, eles não são culpados por aquilo que se está a passar no meu país. Aliás, o apoio dos atletas desses países tem sido fundamental e quero agradecer-lhes”, pode ler-se na mensagem publicada por Svitolina nas redes sociais.

No início do dia, a grande maioria dos tenistas ucranianos já tinham emitido um comunicado onde pediam apoio das entidades no sentido de uma clarificação das suas posições.

  • Categorias:
  • WTA
José Morgado
Jornalista do Jornal Record e Comentador Sport TV. Ténis 24/7.