Nova Iorque pode receber Masters de Cincinnati antes do US Open para evitar viagens

Por José Morgado - Junho 2, 2020
US-Open

Tempos excecionais exigem medidas excecinais e a Federação norte-americana de ténis (USTA) continua a tentar salvar dois dos maiores torneios do país, mesmo que sejam necessário que se disputem sem público… e no mesmo local. Segundo revela esta terça-feira o jornal ‘New York Times’, a USTA tem um plano para transferir o torneio de Cincinnati (ATP Masters 1000 e WTA Premier 5) de Mason, no Ohio, para Nova Iorque, em vésperas do US Open, criando assim uma espécie de bolha tenística de cerca de um mês, que permitiria aos jogadores ficarem ‘confinados’ à mesma cidade durante aquele período, numa medida semelhante ao que vai acontecer, por exemplo, com a NBA.

O torneio de Cincinnati está agendado para de 17 a 23 de agosto e o US Open arranca a 24 (com o qualifying), estendendo-se até 13 de setembro, data da final de singulares masculinos.

Esta proposta ainda está a ser avaliada pelo ATP e WTA — tal como pelos donos do torneio de Cincinnati — e terá sido por isso que a decisão em torno dos torneios pré-US Open, inicialmente anunciada par 1 de junho, foi adiada por 15 dias.

Certo parece ser que todos os eventos nos Estados Unidos se joguem sem espectadores. Em 2019, 850 mil pessoas entraram pelos portões do Billie Jean King National Tennis Center durante as três semanas de US Open.

José Morgado
Jornalista do Jornal Record e Comentador Sport TV. Ténis 24/7.