Nadal: «Chorei, desesperadamente, após a final de Wimbledon de 2007»

Por Tiago Ferraz - Novembro 2, 2020
Nadal-Wimbledon
Fonte: REUTERS/Tony O’Brien – RC1DAAD9F2C0

O tenista espanhol Rafael Nadal deu uma interessante entrevista ao Corriere della Sera onde deixou rasgados elogios ao seu rival Roger Federer e onde lembra uma das derrotas mais dolorosas da carreira:

“Depois da final de Wimbledon (de 2007) chorei, desesperadamente, no balneário durante uma hora e meia. Por vezes, a desilusão é terrível, ainda que seja apenas um encontro de ténis. Também chorei na final do Open da Austrália de 2014 diante do Stan Wawrinka. Lesionei-me nas costas no primeiro set. Perdi, mas consegui acabar o encontro. Ninguém pode desistir numa final de um Grand Slam”, lembra, citado pelo Punto de Break.

Rafael Nadal falou sobre o que sente nesta fase devido à pandemia de coronavírus:

“Tenho medo das doenças. No que diz respeito ao covid eu não tenho medo por mim, mas sim por quem posso infetar, nomeadamente, pessoas de risco. É o momento mais difícil das nossas vidas. Agora é o momento de lutar pelas coisas mais importantes do que um encontro de ténis. Devemos cultivar a confiança. Devemos enfrentar esta fase com respeito. Por nós mesmos, pelos nossos entes queridos e por todos os outros. As pessoas podem morrer do vírus, mas também podem morrer de fome. A economia está numa fase terrível. Temos que encontrar o equilíbrio entre a saúde e o trabalho. A segurança é fundamental, mas a liberdade e a dignidade também são”, salientou.

Tiago Ferraz
Jornalista de formação, apaixonado por literatura, viagens e desporto sem resistir ao jogo e universo dos courts. Iniciou a sua carreira profissional na agência Lusa com uma profícua passagem pela A BolaTV, tendo finalmente alcançado a cadeira que o realiza e entusiasma como redator no Bola Amarela desde abril de 2019. Os sonhos começam quando se agarram as oportunidades.