João Sousa está em Lisboa mas vai dar salto até Espanha e França (com Medvedev) antes de voltar a competir

Por José Morgado - Junho 3, 2020
João-Sousa

João Sousa, melhor tenista português da história, está desde o início desta semana a treinar em Lisboa, onde deverá permanecer nas próximas três semanas para preparar aquilo que se espera que ainda falte da temporada, suspensa — para já — até 31 de julho por causa do coronavírus. O vimaranense de 31 anos reencontrou o seu treinador Frederico Marques na capital portuguesa — Fred cumpriu a sua quarentena no concelho de Almada e João em Guimarães — e a nova etapa do ‘desconfinamento’ tenístico já está em andamento, depois de semanas no norte do país em que o minhoto treinou com João Monteiro e Nuno Borges.

“Começámos a treinar juntos no dia 1. Vamos estar 15 dias em Lisboa, o mais normal é que façamos três semanas, mas para já 15 dias garantidos. Esperamos até dia 10/15 de junho para saber o que o ATP vai fazer. Soubemos que vai haver uma reunião de jogadores em zoom, que se costuma fazer duas ou três vezes por ano. Calculamos que se vá falar sobre o futuro e depois no dia seguinte é com os treinadores. Estamos a fazer uma preparação para começar a competir em agosto, mas tudo depende daquilo que for decidido”, contou-nos Frederico Marques, confirmando a reunião entre jogadores marcada para 10 de junho.

Marques revelou ainda que os planos pós-Lisboa passam por Barcelona, Alicante e sul de França. “Vamos estar três semanas em Lisboa, final de junho viajaríamos para Barcelona para ficar alguns dias por lá. Depois temos o torneio em Alicante, em julho. Nos dias antes do torneio já estaríamos mais perto de Alicante. Vamos aproveitar que vão estar lá muito bons jogadores, como De Minaur ou Carreño. E depois possivelmente a partir do dia 10 até 20 iríamos para França para estar com o Medvedev. Também existe a possibilidade de vir a competir em França num torneio em que ele também jogue”.

Os torneios que a Federação Portuguesa pretende organizar entre junho e julho (três prize-money mais a antecipação do Campeonato Nacional) são uma possibilidade mas não a prioridade. “Sabemos pouco dos torneios da Federação. Não são decisões fáceis. Ainda não se sabe se pode haver públicos, que hotéis podem, pelo que para já a principal ideia é preparar torneios ATP. É possível, mas não é a prioridade. Sabemos que são em três locais diferentes e que o último torneio seria uma semana antes das competições internacionais. Provavelmente todas as semanas de julho.”

O treinador do melhor português de sempre assume que estes meses sem ténis serviram para que o seu jogador debelasse totalmente a lesão no pé e recuperasse índices físicos. “Ele está muito bem fisicamente, melhor do que quando saímos de Indian Wells. Ele vinha de uma lesão, de algum tempo parado, semanas em condições sem estar na melhor forma física. A pré-época não foi como estávamos habituados e ele estava com pouco ritmo. Neste momento as semanas de paragem serviram para recuperar desses problemas. Estive presente ao longe com todo o planeamento e tivemos uma grande ajuda do pai do João a fazer esse trabalho em casa. Ele está em excelentes condições. Estamos ansiosos por começar a competir e ver como o pé reage.”

Sousa planeia treinar em piso rápido nos próximos meses, a menos que os torneios na América do Norte acabem cancelados. “A prioridade é preparar torneios em piso rápido. Se o ATP nos informar no dia 10 que afinal vamos começar em terra batida, aí mudamos a superfície.”

José Morgado
Jornalista do Jornal Record e Comentador Sport TV. Ténis 24/7.