Goffin: «Aproveitei todas as oportunidades e impedi que público o fizesse regressar ao encontro»

Por Susana Costa - 2 Maio, 2019
David-Goffin

Farto do frio – e até da neve – de Munique, cidade onde se joga o torneio concorrente do Millennium Estoril Open, David Goffin pediu o wildcard à organização da prova portuguesa e viajou para o nosso país neste semana, à espera de encontrar as condições ideais de jogo.

Fugiu da ventania da jornada de ontem e, nesta quinta-feira, fez do Estádio Millennium a sua casa, para alinhar um dos melhores encontros do ano, frente ao número um nacional, João Sousa. “Foi um grande encontro desde o inicio”, analisou o quarto pré-designado.

“Houve muitas trocas de bola, estava muito calor. Felizmente, não esteve o vento de ontem e deu para fazer um bom encontro. Estive sólido em todos os capítulos do meu jogo e joguei bem nos pontos mais importantes”, analisou Goffin, dizendo “satisfeito com a vitória”.

Tendo perdido na estreia em Barcelona, o antigo top 10 admitiu que não tem feito “grandes encontros”, e que “este foi um dos melhores encontros da temporada”. O plano passa por continuar a tentar regressar ao seu melhor nível e “recuperar a confiança”.

“Tenho sentido dificuldades em regressar devidos a lesões, preciso de boas vitórias para ganhar confiança. Estou aqui para ganhar encontros”, apontou o jogador belga, mostrando-se satisfeito por ter “a sorte de aproveitar todas as oportunidades e impedir que o público o ajudasse a regressar ao encontro. Assim que fechei o primeiro set tornou-se mais fácil lidar com o público”, admitiu.

Goffin volta ao Estádio Millennium nesta sexta-feira, para tentar atingir as meias-finais da quinta edição Millennium Estoril Open, para defrontar Malek Jaziri ou Leonardo Mayer.

Susana Costa
Descobriu o que era isto das raquetes apenas na adolescência, mas a química foi tal que a paixão se mantém assolapada até hoje. Pelo meio ficou uma licenciatura em Jornalismo e um Secundário dignamente enriquecido com caderno cujas capas ostentavam recortes de jornais do Lleyton Hewitt. Entretanto, ganhou (algum) juízo, um inexplicável fascínio por esquerdas paralelas a duas mãos e um lugar no Bola Amarela. A escrever por aqui desde dezembro de 2013.