Ferrer: «Ganhar ao Federer foi a única espinha que ficou na minha carreira, mas tentei de todas as formas»

Por Nuno Chaves - 11 Setembro, 2019

David Ferrer, antigo top 3 mundial, decidiu colocar um ponto final numa carreira recheada de sucessos no ATP 1000 de Madrid, que se jogou no passado mês de maio.

O espanhol deu uma entrevista ao jornal La Razón onde falou de todo o apoio recebido por parte dos adeptos, imprensa e dos grandes nomes do ténis mundial. “É um orgulho para mim que me reconheçam como o melhor de todos os mortais. Na época do Djokovic, Roger e Rafa ter sido número três do mundo, ter conseguido durante sete anos jogar o Masters, durante oito ou nove anos ser top 10. Não tenho dúvidas de que é o prémio de uma carreira muito longa e consistente”, admitiu.

Mas nesta entrevista, Ferrer revelou ainda o ponto mais negativo da carreira. “Ganhar ao Federer num jogo oficial foi a única espinha que ficou na minha carreira, mas tentei de todas as formas possíveis. Espero que no circuito sénior consiga, mas não vai ser o mesmo”, referiu o vencedor de 27 títulos ATP.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.