Espanhóis em alerta: as sete diferenças que Nadal vai encontrar em Roland Garros

Por Bola Amarela - Setembro 23, 2020
nadal

Rafael Nadal, número dois mundial e absoluto dominador de Roland Garros — com 12 títulos entre 2005 e 2019 — é o grande favorito à conquista de mais um troféu em Paris este ano, numa edição especial que mudou de data por causa do novo coronavírus. Esta quarta-feira, o jornal espanhol ‘Marca’ desta sete fatores absolutamente inéditos que Nadal vai encontrar em Paris este ano…

1 — Teto amovível

O estádio Philippe Chatrier estreia em 2020 um teto amovível para o caso de a chuva aparecer. Este é o primeiro ano que tal acontece, pelo que é imprevisível o impacto que poderá ter na alteração das condições de jogo.

2 — Luzes artificiais

Pela primeira vez na história, vai ser possível jogar em Roland Garros quando faltar a luz natural. Ao contrário do que estava previsto, não vai haver sessões noturnas, mas as luzes serão ligadas em todos os courts ao final do dia, para os encontros serem concluídos sem necessidade de serem adiados para o dia seguinte.

3 — Novas bolas Wilson

A Federação Francesa de Ténis, entidade que organiza o torneio, rompeu o contrato que tinha de vários anos com a Babolat e assinou com a Wilson, uma bola que, segundo quem conhece e tem treinado com elas, é mais leve e salta muito menos do que a anterior.

4 — Novo hotel

Desde que ganhou Roland Garros pela primeira vez, em 2005, Nadal fica sempre hospedado no mesmo hotel: o Melia Royal Alma. Mas, este ano, as coisas vão ter de mudar. Rafa estará no hotel onde ficam todos os top 60 de singulares, o Pullman Tour Eiffel.

5 — Sem jantares nos seus restaurantes favoritos

Rafael Nadal tem por hábito jantar nos seus restaurantes favoritos de Paris enquanto compete em Roland Garros. Este ano… não pode, pois todos os jogadores têm de comer no hotel. Aplicações de take away parece ser a solução…

6 — Equipa reduzida

Ao contrário do que é hábito, Nadal só pôde viajar para Paris com dois elementos da sua equipa técnica: Carlos Moya e Rafael Maymó. Ficam em casa Carlos Costa, Benito Pérez Barbadillo e toda a sua família.

7 — Novas rotinas de treinos

Em 2020, os jogadores só podem treinar no complexo de Roland Garros nos dias dos seus encontros: os restantes treinos têm de ser feitos noutro clube, o Jean Bouin.

 

Bola Amarela