Capitão polaco: «Hurkacz não teria jogado mesmo que fosse em hardcourt. A ITF tem de fazer algo»

Por José Morgado - Março 5, 2022
polacos

Marius Fyrstenberg, selecionador polaco da Taça Davis, assumiu este sábado estar desiludido com o resultado da eliminatória da Taça Davis entre Portugal e a Polónia, que a equipa nacional venceu no Complexo de Ténis da Maia, por 4-0. Apesar do resultado, o polaco gostou do esforço e prestação dos seus tenistas.

“Estou desapontado. Eles deram tudo, mas o resultado desaponta-me. Temos uma equipa jovem, eles têm margem para melhorar e acredito que esta equipa vai fazer muitas coisas boas no futuro. Foi uma grande lição para nós e parabéns aos portugueses! Sem o público talvez fosse totalmente diferente. Todos os encontros para mim eram 50/50. Era uma eliminatória muito equilibrada”, assegurou em conferência de imprensa após a eliminatória.

O capitão polaco, antigo jogador de topo na variante de pares, assegura que Hurkacz não viria jogar à Europa mesmo que fosse noutra superfície. “Tínhamos uma grande pressão porque o Hurkacz disse-nos que se juntaria a nos se nos corresse bem este ano. Momento muito duro para eles. Não creio que o Hurkacz viesse mesmo que fosse em piso rápido ou mesmo que fosse na Polónia. Defende muitos pontos. A ITF tem de fazer alguma coisa com o formato. A ATP Cup e um ótimo formato por todas as razões.”

Recorde-se que a Polónia foi semifinalista da ATP Cup, em janeiro, mas os critérios de qualificação desse evento baseiam-se no ranking do número um nacional de casa país.

José Morgado
Jornalista do Jornal Record e Comentador Sport TV. Ténis 24/7.