Berrettini sem palavras: «Não importa o quão bem eu jogo, o Djokovic é sempre melhor»

Por Nuno Chaves - Setembro 9, 2021
Foto: EPA

Novak Djokovic derrotou Matteo Berrettini para se qualificar para as meias-finais do US Open e, no final, o italiano mostrou-se rendido ao número um mundial.

Em conferência de imprensa, o transalpino deixou muitos elogios ao sérvio. “Foi um jogo difícil, como é sempre contra o Djokovic. Sentia-me bem e a jogar bem mas ele tem sempre a habilidade de elevar o seu jogo a outro nível. Talvez por isso seja o melhor de todos os tempos”, disse Berrettini, que continuou com um discurso resignado.

“Não importa o quão bem eu jogo, ele joga sempre melhor. Começa a responder melhor, a servir melhor e eu não pude melhorar o meu jogo como ele. Mereceu ganhar. O bom é que cada vez que jogamos, aprendo muito com ele. Não me posso queixar”, garantiu.

Outro dos pontos que Berrettini abordou foi a exigência física em defrontar Djokovic. “Nunca experimentei algo assim. Enfrentei o Nadal aqui há dois anos mas é distinto, ainda que similar. Contra o Rafa foi nas meias-finais e terminei sem energia. Contra o Nole sentia-me bem mas preciso de manter o nível e mais experiência para jogar melhor. Ele não te dá um ponto, tenho de os ganhar todos. A servir ou a responder, não importa, mas ele faz-me sempre suar”, concluiu.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.