Viagem no tempo: A evolução do vestuário feminino do ténis ao longo dos anos

Por Inês Mata - 12 Janeiro, 2019

Os outfits usados pelas tenistas, desde 1900 até aos dias de hoje

Ao longo de muitas décadas de existência, o ténis tem evoluído, assim como o vestuário feminino associado a esta modalidade. A modificação foi constante, desde as saias compridas utilizadas em 1920 aos calções mais curtos em 1960, ou desde as golas altas em 1900 aos tops elásticos em 1990.

 

 

1900 e 1920

 

O ténis tornou-se popular em Inglaterra e era bastante associado à moda diária. Os vestidos de manga comprida e gola alta estavam em voga e representavam uma classe rica, assim como o próprio desporto.

No torneio de Wimbledon era obrigatório o uso de uniformes completamente brancos, o que fez com que esta cor estivesse associada ao vestuário desta modalidade ao longo dos anos.

No início do ano de 1900, as mulheres usavam saias longas, meias e camisolas de manga comprida. Evidentemente, a indumentária da época dificultava bastante os movimentos em court.

Algumas tenistas, em 1920, surgiram em Wimbledon expondo os braços e os joelhos, como foi o caso de Suzanne Lenglen, que usou uma peça de roupa do designer francês Jean Patou.

Foi, igualmente nesta década, que o famoso tenista René Lacoste criou polos leves de algodão que facilitavam a respiração da pele durante o exercício.

Atualmente, a marca conhecida como Lacoste continua associada a este desporto e é famosa internacionalmente.

 

 

1930, 1940 e 1950

 

 

Houve uma evolução significativa na década de 1930 no comprimento das saias. A peça tornou-se mais curta e prática, comparativamente com os anos anteriores, facilitando o movimento. A cor dominante continuou a ser o branco.

Por um lado, na década de 1940 até 1950, os detalhes super femininos aumentaram nos outfits das tenistas. Os vestidos realçavam as curvas e acentuavam a cintura. Por outro lado, a partir de 1950, as saias plissadas e os casacos a condizer estavam em alta.

Foi, igualmente, nesta altura que Fred Perry, antigo jogador de ténis, lançou a sua marca no ano de 1952.

 

1960 e 1970

 

Em 1960, os vestidos foram parcialmente substituídos pelos calções curtos e túnicas, igualmente em branco.  Por sua vez, em 1970, os outfits associados a esta modalidade começaram a ter detalhes em cor.

Para além das alterações na indumentária, as mulheres começaram a apostar em penteados mais arrojados e a adoptar looks diferentes e marcantes em campo. As meias brancas mantiveram-se intactas e continuaram a ser combinadas com as mais variadas marcas de sapatilhas.

 

1980 e 1990

 

 

Na década de 80, as praticantes de ténis começaram a apostar em uniformes muito justos e completos. Este look definia as formas femininas e, ao mesmo tempo, facilitava os movimentos dos braços e das pernas.

Nos anos 90, o branco começou a ser gradualmente substituído pelo uso de detalhes coloridos, ameaçando a tradição do uso da cor neutra. A tenistas usavam pormenores em vários tons nas saias, nos tops e, inclusivamente, nos elásticos do cabelo. Marcas como a Fila, Sergio Tacchini e Ellesse marcaram a década. Os materiais leves, elásticos e respiráveis como o nylon eram os mais usados.

 

 

2000 e 2010

 

 

Maria Sharapova e Anna Kournikova, dois símbolos do ténis na década de 2000, usavam peças de roupa femininas e sporty. Nesta década, Sharapova utilizou, inclusivamente, elementos dos cristais Swarovski na sua indumentária.

Por sua vez, em meados de 2010, as irmãs Venus e Serena Williams roubaram a atenção de todos com os elementos arrojados e marcantes que usavam em campo. Rendas, folhos, franjas, transparências e laços de cetim eram uma constante no visual da dupla. Venus marcou o French Open em 2010, por usar um vestido semelhante a um corpete com calções nude por baixo.

A designer Stella McCartney começou a querer patrocinar várias tenistas na década de 2010 e, cada vez mais desportistas, começaram a aparecer com peças da autoria da mesma. A Adidas fazia, igualmente, questão de estar presente como embaixadora de vários eventos, representando várias tenistas.

 

 

 

Atualmente

 

Mais uma vez, mesmo depois de ter sido mãe, é Serena Williams que capta a atenção de todos relativamente ao vestuário usado em court.  A tenista adopta elementos girly cada vez mais. A imagem da atleta sempre foi a prova de que existe a possibilidade de manter uma posição de feminilidade no desporto. Ainda assim, tanto Serena como Venus Williams, optam por peças mais simples e discretas comparativamente às que usavam há 10 anos.

Mais recentemente, a americana fez do Roland Garros a sua “catwalk” ao usar uma roupa pouco usual em court: Um fato negro justo ao corpo, um visual que foi por muitos comparados com o visual de uma “super-heroína”. A atleta justificou o uso da peça pouco comum no universo do ténis como sendo mais benéfica para a sua saúde.

A verdade, é que o WTA decidiu alterar algumas regras do vestuário para a temporada de 2019 e uma das principais foi o facto de a partir de agora as tenistas poderem utilizar leggings sem necessidade de terem uma saia por cima. E o ténis feminino agradece!

 

Inês Mata
Licenciada em Ciências da Comunicação/ Pós-Graduada em Comunicação Empresarial/ Formada em Digital Marketing & Estratégia