Tomic: «Não há diferenças em jogar com o número 250 ou 60 do mundo»

Por Bola Amarela - Fevereiro 10, 2021
tomic-ausopen

Completamente resignado com a derrota frente a Denis ShapovalovBernard Tomic foi questionado sobre se ainda tem vontade de lutar por entre qualifyings e torneios mais pequenos. Isto porque o australiano é o número 233 do ranking ATP nesta altura, algo que vai implicar muito trabalho para regressar aos grandes palcos de forma consistente. A resposta foi… curiosa.

“Claro. É que não há diferenças em jogar com o número 250 ou 60 do mundo. Há certosjogadores no top 5, 10 ou 15 do mundo. Já lá estive no topo, dentro dos 20 primeiros, mas não fui muito sério. Se calhar se tivesse sido mais sério, teria entrado eno top 10. Isso não muda nada. Todos estes jogadores são bons a 50, 100 ou 200”, começou por dizer na conferência de imprensa.

Ainda assim, Tomic mostrou-se satisfeito com o nível que apresentou, após ultrapassar o qualifying e ainda a primeira ronda. “Onde quer que esteja, sei que sou bastante bom e num bom estado depois de deixar o ténis de parte durante oito meses. Não podia pedir nada mais. Ganhar quatro encontros num Grand Slam é quase bom de mais para ser verdade para mim nesta fase”, resumiu.

Bola Amarela