Thiago Wild volta a ser feliz em Santiago e mata fome no ATP Tour em maratona de três horas

Por Pedro Gonçalo Pinto - Fevereiro 22, 2022
Foto: Bruno Alencastro/Bola Amarela

Em 2020, pouco antes de a pandemia de Covid-19 congelar o Mundo, Thiago Seyboth Wild viveu o ponto alto da sua carreira, ao surpreender tudo e todos para se sagrar campeão no ATP 250 de Santiago. Depois de se tornar no mais jovem brasileiro de sempre a vencer um título no ATP Tour, Wild bloqueou e só somou mais uma vitória num quadro principal do ATP Tour… até voltar agora a Santiago dois anos depois.

Com um wild card que causou polémica, o número 135 do ranking mundial levou a melhor no duelo com o lucky loser argentino Nicolas Kicker (203.º), que voltou a competir no início de 2021 depois de ter estado suspenso durante cerca de dois anos e meio devido a viciação de resultados. Wild precisou de superar uma dura batalha com os parciais 6-4, 3-6 e 6-4, num encontro que se prolongou por três horas.

Desta forma, Wild, de 21 anos, sorri novamente num palco onde foi muito feliz e alcança essa tão desejada vitória no ATP Tour, sendo que desde o título há dois anos, só tinha vencido no ATP 500 de Hamburgo, então frente a Nicola Kuhn. Agora, vai à procura de disparar para mais uma campanha bem sucedida no Chile, sendo que fica à espera do vencedor do duelo entre Federico Coria (62.º) e Yannick Hanfmann (115.º) para conhecer o seu adversário na segunda ronda. Recorde-se que Thiago Monteiro e Matheus Pucinelli também estão no quadro principal em Santiago.

Pedro Gonçalo Pinto
Comentador Sport TV e ligado ao Jornal Record. Ténis acima de tudo.