Shapovalov: «Dizem que não devemos conhecer os nossos ídolos mas com Federer é o contrário!»

Por Pedro Gonçalo Pinto - Julho 21, 2021
Shapovalov

Denis Shapovalov está agora no top 10 do ranking ATP, mas não tem problemas em admitir que Roger Federer assume o topo na lista de referências no ténis. O canadiano, de 22 anos, entra em ação no torneio de Gstaad apenas nesta quinta-feira, mas aproveitou para dar uma entrevista na qual revelou uma história curiosa com o campeoníssimo suíço, numa altura em que Shapovalov ainda era um perfeito desconhecido no circuito ATP.

“Dizem que não devemos conhecer os nossos ídolos porque depois vamos pensar pior deles, mas com Federer é completamente o contrário! Lembro-me de em 2017 ir a Basileia e eu não era ninguém, estava só a aparecer na altura. Roger estava no carro, preparado para ir embora ter com a sua família. Saiu do carro só para me dizer olá, falou comigo 5 ou 10 minutos e deu-me as boas-vindas à cidade dele”partilhou Shapovalov, em conversa com o jornalista Simon Graf.

“Ele só queria saber se estava tudo a correr bem e se me sentia em casa. Isso ficou-me na memória porque muito poucos jogadores fariam uma coisa dessas, especialmente alguém como Roger, que tem pouco tão pouco tempo e estava a ir para casa para jantar com a sua família”, acrescentou.

Nesse sentido, reconhece que Federer se tornou mesmo numa referência. “Tem sido um enorme exemplo para mim. A maneira como ele age, como é como pessoa, não há espectáculos. É tudo natural e genuíno. Muito inspirador. Quem é o GOAT? É impossível dizer isso. É algo muito pessoal. Uma pessoa pode olhar só para as estatísticas, outra julga o quão campeão se foi, entre outras coisas. São os três únicos. É divertido fazer parte disto e sei que nunca mais vai acontecer na história do ténis”, destacou.

Pedro Gonçalo Pinto