Prémio ‘Regresso do Ano’ vai parar às mãos de Djokovic 

A incrível segunda metade da temporada Novak Djokovic não passou despercebido a ninguém e, na semana em que volta à liderança do ranking, o sérvio de 31 anos é distinguido com o prémio ATP “Regresso do Ano”. Djokovic começou mal a temporada, depois de no ano passado ter sido obrigado a parar meio ano devido a lesão no cotovelo, mas o ténis e a confiança voltaram a tempo de conquistar os torneios de Wimbledon e do US Open.

Pelo meio, conquistou o único Masters 1000 que lhe faltava no palmarés, Cincinnati, tornando-se no único jogador da história a vencer pelo menos uma vez todos os nove torneios da categoria máxima ATP. Seguiu-se o torneio de Xangai e reconquista o primeiro lugar da hierarquia mundial, com a certeza de que vai terminar pela quinta vez na sua carreia o ano como número um, depois de 2011, 2012, 2014 e 2015. Um marco que o coloca apenas atrás do retirado Pete Sampras, com seis fins de ano como número um mundial.

Djokovic, que chegou a ser 22.º do mundo em junho, mereceu os votos dos seus colegas de profissão mas não foi o único da sua equipa a ser distinguido. O seu treinador Marjan Vajda foi o escolhido pelos restantes treinadores como o melhor técnico do ano. Relembre-se que Djokovic e Vajda separam-se no ano passado, mas número um mundial repescou-o antes da temporada da terra batida, ajudando-o a alcançar todas as grandes conquistas de 2018.