Polémica, loucura e match points salvos: Kyrgios sobrevive a duelo surreal

Por Bola Amarela - Fevereiro 10, 2021
nick-kyrgios

Talento, grandes pontos, polémica e uma boa dose de loucura. Era o que se esperava do duelo entre Nick Kyrgios Ugo Humbert que em nada desiludiu. O ingrediente que, por ventura, ninguém esperava era a enorme capacidade de luta que o australiano mostrou frente ao 29.º cabeça-de-série. É que o favorito da casa, num ambiente absolutamente incrível, salvou dois match points para triunfar com os parciais 5-7, 6-4, 3-6, 7-6(2) e 6-4, marcando um duelo aliciante com Dominic Thiem na terceira ronda.

Tudo começou de forma muito equilibrada, com os serviços a não darem hipótese. No entanto, a primeira oportunidade surgiu para o lado de Kyrgios (47.º), com um ponto de break que não aproveitou a 4-4. Humbert reagiu e eis que o desespero tomou conta do intempestivo Kyrgios. O australiano já se tinha queixado de máquina que deteta as ‘let’ não estar a funcionar corretamente e a fúria aumentou na reta final do set, quando dois ases foram ‘anulados’ dessa forma. Acabou por ser quebrado e destruiu a raqueta após o último ponto.

Ainda assim, a verdade é que o jogador de 25 reagiu da melhor maneira e jogou um segundo set irrepreensível, quebrando o serviço de Humbert a caminho do 6-4. Aparentemente simples. Mas Humbert manteve-se concentrado e não deixou o nível cair na terceira partida. Tudo estava equiparado e sem brechas, até que o francês espreitou o break e fez o 5-3, altura em que disse o que não devia para soltar a frustração e sofreu um ‘point penalty’.

O descalabro estava ali bem claro e ganhou ainda mais força quando o francês quebrou logo a abrir o quarto set. Era o fim da linha? Nada disso! Kyrgios até nem conseguiu aproveitar os três break points no 3-4 e guardou essa quebra para a consumar de forma mais dramática. Salvou dois match points – um deles com um grande passing shot de esquerda – e quebrou para fazer o 5-5. Com as bancadas a arder e um ambiente digno de Taça Davis, Kyrgios abriu o livro e arrasou no tie-break para forçar o quinto set.

Acha que a história está toda contada? Nem perto. Logo no segundo jogo do quinto parcial, voltaram as questões com a máquina da rede. Estava 30-30 e o australiano voltou a queixar-se, antes de, ironia das ironias, servir com tanta força que o dispositivo saltou. Certo é que salvou um ponto de break e logo de seguida quebrou Humbert para fugir para a vitória final. Um duelo eletrizante com 65 winners de Kyrgios e 72 de Humbert, face a 43 e 39 erros não forçados respetivamente.

Bola Amarela