Pedro não sabe se joga no Rio e deixa Argentina com mensagem: «Aimar é o maior!»

Por José Morgado - Fevereiro 16, 2020
pedrosousa-press
Foto: Seba Torok

Pedro Sousa, derrotado na final do ATP 250 da Argentina, mostrou-se este domingo muito contente depois de chegar tão longe num torneio do principal circuito ATP pela primeira vez. O lisboeta de 31 anos, que vai subir para o 107.º posto do ranking mundial na segunda-feira, assumiu ter esperado toda uma vida por este momento.

Foi o melhor torneio da minha carreira. Esperei 30 anos para chegar à minha primeira final e tive que jogar nas condições que se viram. Mas nunca pensei em desistir apesar das dores. Fisicamente estou morto. Vou ver como recupero para o Rio, mas estou contente por ter jogado a minha primeira, e talvez última, final”, admitiu o tenista do CIF, que vai viajar para o Brasil e decidir na terça-feira se joga ou não na Cidade Maravilhosa.

Fanático do Benfica, Pedro Sousa admite que em Portugal pode fazer a sua vida normalmente, pois as pessoas só querem saber… de futebol. Tal como ele. “Eu posso ir ao cinema ou jantar que não me reconhecem. O ténis está a ficar mais famoso [em Portugal], mas pelo outro Sousa [João], não por mim. Em Portugal, as pessoas interessam-se mais por futebol e isso não me chateia, porque eu também adoro futebol. O Pablito Aimar é o maior!”.

Sousa despediu-se da conferência de imprensa… aplaudido por todos os jornalistas presentes. “Ter o apoio de todo o público foi como se fosse um título para mim”.

José Morgado
Jornalista do Jornal Record e Comentador Sport TV. Ténis 24/7.