Nadal: «Nunca competi para calar bocas, a ambição tem de ser pessoal»

Por Nuno Chaves - 12 Setembro, 2019
nadal

Rafa Nadal não demorou a viajar para a sua cidade-natal, Maiorca, depois de duas semanas de exigência máxima quer física, quer mental no Open dos Estados Unidos, prova que conquistou pela quarta vez na carreira.

O número dois mundial falou com vários meios de comunicação onde abordou vários assuntos, entre os quais sobre a sua motivação para continuar a trabalhar ao fim de tantos anos no circuito. “Sempre fiz o meu caminho, nunca competi para calar bocas e jamais penso naquilo que se podia dizer de mim ou em demonstrar coisas àqueles que duvidam de mim. A ambição deve ser pessoal, eu tento fugir da vingança e do ressentimento em todos os aspectos da minha vida”, admitiu o maiorquino.

E quais são os parâmetros que tem para continuar competitivo? “Lutar por coisas que me motivam, aspirar a dar o máximo e continuar a lutar por ganhar os grandes torneios. Para isso sou consciente que devo cortar o calendário. Atualmente tenho 11 torneios jogados em 2019 e não sei com quantos vou acabar”, referiu El Toro.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.