Nadal não tem a certeza de quando volta mas mantém esperança no número 1

Por Nuno Chaves - Setembro 21, 2018
NEW YORK, NY – AUGUST 27: Rafael Nadal of Spain returns the ball during his men’s singles first round match against David Ferrer of Spain on Day One of the 2018 US Open at the USTA Billie Jean King National Tennis Center on August 27, 2018 in the Flushing neighborhood of the Queens borough of New York City. (Photo by Julian Finney/Getty Images)

A lesão de Rafa Nadal no Open dos Estados Unidos pode parecer mais grave do que aquilo que dava a entender. O número um mundial desistiu dos torneios asiáticos e tem a liderança do ranking ATP em risco para Novak Djokovic, que não defende qualquer ponto até ao final da temporada. Roger Federer também lá pode chegar mas tem alguns pontos a defender.

O objetivo do maiorquino de 32 anos passa por jogar em Paris-Bercy, tal como admitiu Toni Nadal à Agência EFE. “Na última conversa que tive com o Rafa, ele disse-me que não ia estar preparado para a Ásia mas que iria a Paris. Não há razão para forçar o regresso. Já tem experiência nestas coisas e com 32 anos tem que se cuidar e não se precipitar”, admitiu o tio.

Desta feita, apesar de não ser certo, Nadal deverá estar apto para o último Masters 1000 do ano (bem como para as ATP Finals) e lutar pelo primeiro lugar com o sérvio e o suíço. De recordar que, caso esteja apto e assim o pretenda, tem um wild card à disposição para jogar em Viena, prova que tem início a 22 de outubro.

Nesta altura, estas são as contas do ranking.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.