Murray explica calendário lotado: «Não estou aqui para treinar… Vou jogar o máximo que puder»

Por Pedro Gonçalo Pinto - Fevereiro 8, 2022

Andy Murray voltou ao top 100 quase quatro anos depois, mas o antigo número um do Mundo quer muito mais do que isso. Prova disso é o calendário que o britânico alinhavou para o mês de fevereiro, uma vez que está preparado para uma autêntica maratona de ténis com três semanas consecutivas de torneios. Murray não quer abrandar e, numa altura em que não esconde fazer contas à vida no que diz respeito à carreira, está preparado para fazer all in.

“Tenho 34 anos e com os problemas que tive nos últimos anos, tenho de ter cuidado. Mas enquanto me sentir bem e estar saudável, quero tentar jogar. Foi por este motivo que passei por tantas recuperações e treinei tanto nos últimos anos. Não estou aqui para treinar nem me quero sentir bem só para treinar… Vou jogar o máximo que puder”, garantiu o antigo líder do ranking ATP.

Murray prepara-se para arrancar a sua participação no ATP 500 de Roterdão, e logo com um difícil duelo com Alexander Bublik, recém-coroado campeão de Montpellier. O britânico segue depois viagem para o ATP 250 de Doha e fecha o mês no ATP 500 do Dubai, tudo torneios que vai disputar com convites da organização.

Pedro Gonçalo Pinto
Comentador Sport TV e ligado ao Jornal Record. Ténis acima de tudo.