Zverev diz que a chave para não voltar a desiludir num Grand Slam é… largar o telemóvel

Por Pedro Gonçalo Pinto - Fevereiro 8, 2022

Alexander Zverev foi uma das grandes desilusões do Australian Open, ao deixar escapar uma oportunidade que muitos consideravam ser de ouro para vencer o seu primeiro título do Grand Slam e, por consequência, saltar para o topo do ranking ATP. O que é certo é que o alemão não soube lidar com a pressão e caiu nos oitavos-de-final frente a Denis Shapovalov em apenas três sets.

Ora, agora já com a cabeça mais fria, Sascha Zverev reconheceu que lhe faltou alguma maturidade para lidar com o momento. Isso e… largar o telemóvel. Parece estranho mas foi o próprio alemão a apontar essa fator como alguma importante para ter sucumbido perante toda a pressão e tudo o que se falava sobre poder ser o novo número um da hierarquia mundial masculina.

“É um processo de aprendizagem e eu estava naquela situação pela primeira vez. Na próxima não vou estar tanto tempo no telemóvel. Desta vez, os meus pais não estavam comigo, a minha namorada também não, então estive ao telemóvel muito tempo. Na próxima vez, se estiverem comigo, vou largar o telemóvel para estar livre do mundo”, reconheceu em Montpellier, onde perdeu na final para Alexander Bublik.

Zverev traçou a comparação com o que aconteceu nos Jogos Olímpicos, onde soube lidar com o estatuto de favorito. “Isso foi o que fiz bem em Tóquio depois das meias-finais, já que eu era o favorito na final. Vou tentar fazer isso daqui para a frente. Tenho de aprender, já não sou um jovem jogador. Ganhei a todos os níveis e só me falta um Grand Slam”, destacou.

Pedro Gonçalo Pinto
Comentador Sport TV e ligado ao Jornal Record. Ténis acima de tudo.