Maldição das finais perdidas? Norrie risca nome da lista dos ‘eternos’ vice-campeões

Por Pedro Gonçalo Pinto - Julho 25, 2021
Foto: EPA

Cameron Norrie conquistou, por fim, o direito de celebrar um título no ATP Tour. Depois de quatro finais perdidas, o britânico, que está a viver claramente a melhor da temporada da carreira até agora, sagrou-se campeão em Los Cabos, colocando um ponto final numa maldição que começava a construir em finais. É que Norrie já havia perdido quatro embates decisivos nos escalão mais alto do ténis mundial, uma em 2019 (Auckland) e três já em 2021 (Estoril, Lyon e Queen’s).

Pois bem, desta forma, o britânico saiu de um grupo de ‘amaldiçoados’, nos quais estão cinco tenistas no ativo que somam apenas derrotas em finais, com um mínimo de quatro disputadas. Vamos a contas! Apenas com 20 anos, Felix Auger Aliassime é o ‘rei’ deste ranking, com oito encontros decisivos perdidos. Três em 2019 (Rio de Janeiro, Lyon e Estugarda), três em 2020 (Roterdão, Marselha e Colónia) e dois em 2021 (Melbourne e Estugarda).

Há ainda quatro tenistas que partilhavam o registo com Norrie. Pierre-Hugues Herbert, Aljaz Bedene, Alexander Bublik Filip Krajinovic continuam a sofrer da maldição e à procura do feitiço para inverter este problema na hora de lutar por títulos no ATP Tour…

Pedro Gonçalo Pinto