Konta: «Ninguém ganha dinheiro agora. Os cortes salariais são de 100%»

Por Tiago Ferraz - Abril 1, 2020
johanna-konta

A tenista britânica Johanna Konta deu uma entrevista à Standard Sport onde falou de inúmeros temas entre os quais está, como é óbvio, a pandemia de coronavírus e as suas consequências.

Com efeito, a britânica afirma que a situação atual é muito negativa:

«É devastadora a situação que estamos a viver atualmente. É muito triste que tenhamos que ficar todos fechados em casa para não correr o risco de ficarmos contagiados. Além disso, com o passar dos dias, estamos a ver os inúmeros torneios que têm sido cancelados. Vimos Roland Garros ser adiado para finais de setembro e com Wimbledon deve acontecer o mesmo. É devastador. Com o que está a acontecer neste momento, não acredito que haja mudanças em breve», disse, citada pelo Punto de Break.

Johanna Konta fala ainda das questões salariais e diz que ninguém dentro do circuito feminino está a ganhar dinheiro neste momento:

«A realidade é que nenhuma tenista está a ganhar dinheiro neste momento. Estamos todas com um corte salarial de 100%. Estamos a tentar chegar a um acordo. A situação agora é muito complicada, especialmente, para os tenistas de rankings mais baixos que precisam de receita para continuar nesta modalidade», revelou.

Konta deixa ainda um apelo à união entre todos os envolvidos nos circuitos profissionais:

«Formamos algo a que chamaram ténis. Sem jogadores, não há torneios e sem torneios não há jogadores. Quanto mais trabalharmos em conjunto, mais fácil será que tudo volte à normalidade e à competição que é algo que todos desejam de várias semanas de paragem», concluiu.

Tiago Ferraz
Jornalista de formação, apaixonado por literatura, viagens e desporto sem resistir ao jogo e universo dos courts. Iniciou a sua carreira profissional na agência Lusa com uma profícua passagem pela A BolaTV, tendo finalmente alcançado a cadeira que o realiza e entusiasma como redator no Bola Amarela desde abril de 2019. Os sonhos começam quando se agarram as oportunidades.