Ivanisevic ao ataque: «Djokovic é o melhor de todos mas as pessoas não conseguem admitir»

Por Nuno Chaves - Março 2, 2021

Se as declarações do pai de Novak Djokovic já foram ‘bombásticas‘, então prepare-se que estas de Goran Ivanisevic não ficam nada atrás.

O treinador do número um mundial deu uma longa entrevista à Tennis Majors onde falou de tudo, nomeadamente, da alegada diferença de tratamento que Nole recebe. “Como adepto e treinador do Djokovic e no ponto de vista pessoal, este Australian Open foi o Grand Slam mais especial de todos. Provavelmente o Novak escolhe Roland Garros 2016 ou o seu primeiro Wimbledon mas para mim, depois de um ano onde foi arrasado pela imprensa de todas as maneiras possíveis, tem um sabor especial”, começou por dizer.

Sobre essa relação com a imprensa, Ivanisevic deu o seu ponto de vista. “Tudo começou com o Adria Tour. Já existia antes disso, mas durante o ano passado deu-me a ideia de estar a viver o filme ‘Massacre no Texas’. Por que o tratam assim? Provavelmente pelas suas origens, os Balcãs sempre foram tratados de maneira diferente. Além disso, o Novak não tem medo de dizer o que pensa nem de lutar pelas causas em que acredita. Parece que todos ficaram contentes pelo que lhe aconteceu no US Open (desqualificação por acertar com uma bola num juiz de linha). “Na Austrália defendeu os seus companheiros e todos atacaram o Djokovic porque é o único que se atreve a falar, os outros estão calados”, atacou.

Mas há mais. Para Ivanisevic, houve algo que ultrapassou todos os limites. “Isto é o topo do bolo. A acusação mais desleal e a mais triste: dizer que estava a fingir uma lesão. Qual a razão para fazer isso? Por que é que o melhor jogador do mundo ia inventar uma lesão enquanto lidera um jogo por dois sets a zero? Quando é outro jogador de elite que está lesionado e vai a jogo é considerado um herói. Se é o Novak é porque está a fingir”.

“O Novak é o melhor de todos mas as pessoas não conseguem admitir isso. A sua mente é fortíssima, acredita nos exercícios mentais e através dos seus métodos de relaxamento foi capaz de minimizar a dor, sem esquecer a ajuda dos anti-inflamatórios. O Novak estava concentrado no título desde o momento em que aterrou na Austrália. Agora tem 18 Grand Slams, creio que o Nadal vai ganhar pelo menos mais um Roland Garros, por isso, era importante manter o ritmo. A corrida continua aberta e interessante”, frisou.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.