Há seis anos, Kyrgios deu espetáculo frente a Nadal em Wimbledon

Por Tiago Ferraz - Julho 1, 2020
nadal-kyrgios-wimbledon

Nick Kyrgios foi sempre uma figura polémica, mas nos últimos dias e, em particular no ano de 2020, tem sido, de forma surpreendente, a voz da sensatez quanto à covid-19 e, claro, devido à polémica com Alexander Zverev que até deu que falar nas redes sociais numa troca de palavras bastante acesa com Boris Becker.

Com efeito, esta quarta-feira, vamos recordar o dia em que Nick Kyrgios deu a conhecer o seu talento ao mundo do ténis: vi jogar pela primeira vez, precisamente a 1 de julho de 2014, quando o próprio ‘encheu’ as medidas dos amantes do ténis e deu  espetáculo inacreditável na relva sagrada de Wimbledon frente a um dos melhores tenistas de todos os tempos Rafael Nadal que era líder do ranking mundial.

Nick Kyrgios tinha 19 anos, estava no seu primeiro ano como tenista profissional e, frente a Nadal, um dos melhores de sempre da nossa modalidade fez, talvez, uma das suas melhores exibições de carreira, ao vencer o maiorquino em quatro sets com um resultado de 7-6(5), 5-7, 7-6(5) e 6-3 num encontro que durou quase três horas e que me deixou agarrado à televisão num dia de sol radiante.

Kyrgios viria a ser travado somente nos quartos de final do Grand Slam londrino diante do canadiano Milos Raonic num encontro definido em quatro sets pelos parciais de 7-6(4), 2-6, 4-6 e 6-7(4) e falhou um possível encontro com Roger Federer, que era o seu ídolo, nas meias-finais da prova.

O australiano foi, de longe, a grande surpresa desta edição do torneio de Wimbledon uma vez que era o número 144 do mundo na altura e, nesse sentido, só teve acesso ao quadro principal devido a um wild-card que lhe foi concedido pela organização do Grand Slam londrino.

Depois desse dia, tudo mudou! Recorde os melhores momentos da carreira de Nick Kyrgios e veja ou reveja o encontro que deu a conhecer o talento do tenista do país dos cangurus ao mundo!

Tiago Ferraz
Jornalista de formação, apaixonado por literatura, viagens e desporto sem resistir ao jogo e universo dos courts. Iniciou a sua carreira profissional na agência Lusa com uma profícua passagem pela A BolaTV, tendo finalmente alcançado a cadeira que o realiza e entusiasma como redator no Bola Amarela desde abril de 2019. Os sonhos começam quando se agarram as oportunidades.