Federer: «Nadal não estar aqui é uma baixa enorme, espero que ele volte rápido»

Roger Federer, número três do ranking mundial, subiu ao estatuto de segundo pré-designado em Londres depois da desistência de Novak Djokovic, que impediu um possível grupo com os dois tenistas. O suíço de 37 anos, campeão das ATP Finals por seis ocasiões, lembra no entanto que a prova perde (muito) sem o Touro maiorquino.

“É claro que me afetou porque deixei que poder ficar no mesmo grupo do Novak. O sorteio mudou todo. Mas claro que em termos de entusiasmo e de ‘stat power’ a competição perde bastante. Mas não há nada a fazer. É uma baixa enorme mas só posso esperar que tudo corra bem e que ele volte rápido”, confessou o helvético.

Federer desvalorizou ainda a possibilidade de vencer o título número 100. “Penso que não interessa muito onde ou como vou ganhar o meu 100.º título, desde que o faça. O interesse aqui é mais o de ganhar as ATP Finals do que qualquer outro recorde ou número…”

O suíço de 37 anos falou ainda da sua temporada e do favoritismo de Djokovic em Londres. “Se me tivessem dito em 2017 que este seria o meu ano… eu ficaria contente. É claro que houve desapontamentos, como Wimbledon e US Open, mas espero acabar bem aqui. Espero não ir para casa com três derrotas. Acho que o único tenista a poder dizer ‘se jogar como tenho jogado vou ganhar’ é o Djokovic, mas mesmo isso não é certo, especialmente à melhor de três sets.”