Federer abre o jogo: «Antes perguntava qual era o próximo torneio. Agora vejo se repito um exercício»

Por Pedro Gonçalo Pinto - Agosto 13, 2021
Foto: EPA

Com 40 anos feitos recentemente, Roger Federer entra numa nova etapa da vida. O campeoníssimo suíço continua a lutar, mas o joelho direito voltou a ceder e deixa o futuro imediato envolto em dúvidas, a começar pelo US Open. Numa entrevista em que falou muito abertamente sobre o que está a viver, Federer reconheceu que a vida está completamente diferente e que as perguntas que faz a si próprio são bem distintas.

“É duro, antes era diferente. No passado, as perguntas eram mais simples. ‘Como estou esta semana no ranking?’, ‘ Qual será o meu próximo torneio?’. Hoje é tudo mais complicado e as perguntas são ‘Como me vou sentir se repetir este exercício?’, ‘Que sou capaz de fazer?’, ‘Quais são os verdadeiros objetivos?’, ‘Como vou conseguir isto tudo a partilhar teto com a minha família?’, ‘O que é que o resto da equipa acha?’. Nesta etapa da minha carreira ouço muito mais do que quando era jovem, a minha atitude é totalmente diferente da que tinha há 10 anos”, reconheceu em entrevista ao ‘Blick’.

Acima de tudo, os ritmos de Federer mudaram por completo e até a mentalidade tem de ser diferente porque o corpo não acompanha a vontade da cabeça da mesma forma. “A diferença é que agora preciso de mais tempo para tudo. Há uns anos, se tivesse um bloqueio nas costas ou sentisse uma dor, sabia que em dois dias tudo estaria tratado e poderia treinar de maneira habitual outra vez. Hoje em dia, esses prazos podem ir até duas semanas. Há que ter mais paciência com a dor que sofres, contigo mesmo e com o regresso ao court. Ao mesmo tempo, diria que se multiplica a alegria por cada passo dado. Antes dava por adquiridas as muitas vitórias em torneios. Hoje nunca se sabe o que pode haver”confessou.

Pedro Gonçalo Pinto