Djokovic e Murray criticam desistência do Canadá nos pares: «Isto não devia ser permitido»

Por Nuno Chaves - Novembro 20, 2019
Foto: Kosmos Tennis

MADRID. Novak Djokovic, número dois mundial, realizou uma exibição de grande nível pela Sérvia na Taça Davis mas a sua conferência de imprensa ficou marcada por outros assuntos.

Entre os quais, está a desistência do Canadá do duelo de pares, que tanta polémica está a levantar, ainda para mais porque os Estados Unidos acabaram por ficar com uma vitória de 6-0 e 6-0, algo que pode ser importante e decisivo na questão do apuramento para a próxima fase, relativamente à luta pelos dois melhores segundos classificados. “Ouvi isso e honestamente não gostei disso, não devia ser permitido. Percebo que o Canadá já estivesse apurado, que quisesse descansar os jogadores. Já estavam nos quartos de final, o Aliassime estava a regressar de lesão mas não é justo para os adversários”, confessou o sérvio, que representou o seu país mais de dois anos e meio depois.

“Os EUA acabam por sair beneficiados porque venceram 6-0 e 6-0 e pode fazer a diferença nas questões de apuramento para os melhores segundos classificados”, reforçou Nole.

Minutos antes, na mesma sala de conferências de imprensa, Andy Murray também, criticou esta opção da seleção canadiana. “O Canadá até pode ter achado que era um assunto morto para eles porque já estavam qualificados, mas isso pode ter implicações nas equipas que estão a lutar pelo segundo lugar. Eles também iriam ter dois dias de descanso, por isso, acho que deviam ter jogado a eliminatória”, atirou.

 

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.