Bola de cristal para 2022: eis cinco jogadores que vão vencer o primeiro título da carreira

Por Bola Amarela - Dezembro 18, 2021

Na época passada, apostámos em cinco jogadores que iriam vencer o primeiro título da carreira em 2021. Até não nos saímos mal, já que Daniel Evans e Sebastian Korda fizeram mesmo a festa, enquanto Alexander Bublik andou perto com duas finais. Falhámos – e há que reconhecer – em Vasek Pospisil e Emil Ruusuvuori, mas atiramo-nos novamente nesta aventura, agora para 2022.

Felix Auger-Aliassime

Durante quanto tempo é que o jovem canadiano vai resistir sem conquistar um troféu? Trata-se quase de uma maldição e a verdade é que acertámos ao não colocar Felix na lista do ano passado. É que Auger-Aliassime somou mais duas finais e já vai em oito perdidas… sem vencer qualquer set! No entanto, já depois de se estrear no top 10, o canadiano vai finalmente quebrar este jejum quase incompreensível.

Lloyd Harris

Atualmente na 31.ª posição do ranking ATP, o sul-africano foi uma das surpresas de 2021, com uma evolução muito sustentada. Não foi por acaso que atingiu a final no Dubai, onde perdeu para Aslan Karatsev, tendo essa sido a sua segunda final perdida. Harris é um daqueles tenistas que quando entra forte numa semana pode entrar numa roda-viva muito positiva, pelo que tem legítimas aspirações a um troféu.

Alexander Bublik

Cá estamos com Sascha Bublik de novo. Todos conhecem o talento do cazaque, mas ao mesmo tempo sabem a instabilidade que paira por aqueles lados. Quando está concentrado é capaz do melhor, mas rapidamente passa para o pior. Ainda assim, vem de uma época em que fez duas finais e tem clara capacidade de ‘roubar’ um daqueles torneios em piso rápido indoor. Já tem quatro finais perdidas, duas delas em 2021.

Jenson Brooksby

Parece ser só uma questão de tempo até a jovem sensação norte-americana erguer um troféu no ATP Tour. Depois de sair do anonimato em 2021, Brooksby apresentou-se realmente ao mundo ao atingir a final de Newport, mas vamos vê-lo nos grandes palcos muito mais vezes. Parece inevitável acabar por conquistar algum título.

Sebastian Baez

O argentino é o tenista com menos obra feita no ATP Tour entre os cinco aqui destacados, mas estamos a falar de um rapaz de 20 anos que já conquistou seis Challengers. Baez sabe o que é ter dinâmica de vitória e é um talento muito interessante, que saiu de um molde muito semelhante ao de Diego Schwartzman. O número 99 do mundo sabe jogar bem em piso rápido, mas é bastante fácil imaginá-lo a sair por cima de um torneio em terra batida na próxima temporada.

Bola Amarela