Berdych: «Não teria conseguido metade dos meus feitos sem Nadal, Federer, Djokovic ou Murray»

Por Bola Amarela - Dezembro 6, 2021
berdych-wimbledon

Tomas Berdych vive uma nova fase da carreira, agora como ex-tenista profissional. Aos 36 anos, o antigo número quatro do mundo alcançou uma série de feitos e despediu-se com um percurso notável, mas que podia ter sido ainda melhor se não existissem jogadores como Rafael Nadal, Novak Djokovic, Roger Federer ou Andy Murray. Ou será que é mesmo assim? Deixemos o próprio falar.

“Sou uma pessoa muito realista. A razão principal pela qual tive tanto êxito foi por jogadores como Nadal, Federer, Djokovic ou Murray. Eles exigem que jogues a um nível muito alto. Sem eles não teria conseguido metade dos meus feitos”admitiu em entrevista ao Sports Mail.

Certo é que Berdych não se arrepende de ter colocado um ponto final na carreira aos 34 anos. “Sou dos que pensam que quando há algo decidido tens de o fazer. Nunca tive dúvidas sobre se tomei a decisão certa ou não. Acordei uma manhã e disse a mim mesmo que era o fim. Se te continuas a pressionar não aproveitas o ténis como devias. Aos 34 anos, decidi que era altura de me retirar”, apontou.

Questionado sobre algumas histórias ou momentos marcantes, Berdych recordou um episódio em Wimbledon, no ano em que alcançou a final. “Ainda me lembro dessa segunda ronda, quando perdia por dois sets a um contra Denis Istomin. Tive problemas de estômago e passei uns 20 minutos na casa de banho. Foi terrível. Queria retirar-me, mas estava em Wimbledon! Voltei ao court, forcei o quinto set e finalmente ganhei. Cheguei à final, derrotando jogadores como Federer e Djokovic. Tive uma carreira cheia de sucesso, estou em paz comigo mesmo”confessou.

Bola Amarela