O regresso de Serena Williams a Indian Wells em 9 passos

Serena Williams está de volta a Indian Wells. Até aqui, nada de novo. O anúncio do regresso da norte-americana ao torneio onde não metia a raquete há 14 anos correu os quatro cantos do mundo – com a história decorrida em 2001 a voltar à ordem do dia – e, em véspera da sua reestreia no deserto californiano, só falta mesmo percebermos de que forma as negociações entre a número um do mundo e as altas instâncias do primeiro Masters 1000 da temporada decorreram.

1. Início das negociações em 2014

Mais precisamente depois de Serena perder na quarta ronda do Open da Austrália, para Ana Ivanovic. A decisão de Serena chegou ao deserto californiano apenas em janeiro de 2015.

2. Regresso adiado

A jogador de 33 anos deu sinais de que iria participar na edição de 2014, tendo chegado a constar da lista de inscritos, mas não o fez devido a lesão, de acordo com Raymond Moore, diretor executivo do torneio da prova.

3. Empurrãozinho da WTA

Moore confessou que já tinha esgotado todas e quaisquer estratégias para tentar convencer Serena a regressar ao torneio onde venceu pela primeira vez um encontro no circuito profissional, em 1997, quando a CEO da WTA, Stacey Allaster, interveio, fazendo de mediadora entre as partes, e conseguiu trazer a luz ao fundo do túnel. Como? O número 4 explica.

4. “Os Irmãos Williams”

A chave para o “sim” de serena muito se deveu à forma como a diretora da WTA se comportou com as irmãs Williams quando o presidente da Federação Russa de Ténis, Shamil Tarpischev, se referiu às jogadoras como “os irmãos Williams”, durante um programa de televisão. Allaster exigiu um pedido de desculpas a Serena e a Venus e suspendeu-o do cargo durante um ano. “Stacey tem sido atenciosa nesta negociação e a forma como geriu a situação Tarpischev ajudou o processo”, disse o agente de Serena à ESPN.com.

5. Frente-a-frente continuamente adiado

Serena queria um frente-a-frente com Larry Ellison, o multimilionário que em 2012 juntou à sua extensa lista de ativos o BNP Paribas Open, mas com os dois sempre a viajar foi impossível fechá-los numa sala para resolverem a questão.

6. Acordo por teleconferência

Para grandes males, grandes remédios. Sem se poderem encontrar no mesmo espaço físico, a solução passou por uma conversa por teleconferência, de onde resultou um acordo verbal. Ellison terá perguntado à número um do mundo o que seria preciso fazer para tê-la de volta.

7. Decisão 100 por cento de Serena

Nem podia ser de outra forma, ou não conhecêssemos nós Serena e a sua aptidão para braços-de-ferro. “Esta foi uma decisão cem por cento de Serena. Ela é uma verdadeira líder e uma campeã especial”, disse Allaster.

8. Uma única condição

Seria ela própria a fazer o anúncio logo após o Open da Austrália de 2015.

9. E Venus?

A mais velha das Williams não terá recebido a mesma atenção que Serena por parte do torneio norte-americano, que apenas estaria interessado na mais influente das duas, segundo fontes ligadas às jogadoras. “De acordo com os seus representantes da IMG, Venus não foi convidada a regressar a Indian Wells e ninguém na IMG estabeleceu comunicação com o torneio nesse sentido”, segundo a ESPN.com.

Catorze anos depois, Serena volta a pisar o court central de Indian Wells, para defrontar a romena Monica Niculescu, na segunda ronda do torneio que venceu em 2001. É já esta sexta-feira.