Wilander: «Medvedev tem de vencer dois Grand Slams para ser o verdadeiro número um»

Por Nuno Chaves - Março 3, 2022
Foto: EPA

Daniil Medvedev assumiu a liderança do ranking mundial mas parece ainda não ter convencido toda a gente, pelo menos, a Mats Wilander.

O sueco analisou a ultrapassagem do russo a Novak Djokovic e foi claro na hora de dar a sua opinião. “Podes ser um número um de várias formas. Sinto que o Medvedev merece, mas ir para o court e comportar-se como um número um todos os dias, talvez precise de vencer dois Grand Slams para ser um verdadeiro número um. Mas os rankings funcionam assim. Se jogas muitos torneios e és consistente, mereces ser o melhor. Isso nunca deve ser confundido com o ser melhor realmente no dia de hoje e ser o melhor durante 12 meses, há uma diferença entre estas duas realidades”, admitiu em entrevista ao Eurosport.

Wilander até deu o exemplo do duelo de Medvedev com Rafa Nadal, em Acapulco. “É o melhor tenista do mundo no dia a dia? Sim, em alguns dias pode ser, mas perder contra o Nadal 6-3 e 6-3 em Acapulco não significa que seja o melhor jogador de todos. Merece estar onde está pela consistência”, explicou.

E claro, Wilander comparou a liderança de Medvedev à do Big Three. “Em Acapulco, pode explicar-se facilmente que o Medvedev perdeu por causa das condições e este é o seu problema, é por isto que ele não pode ser considerado o melhor tenista do mundo todos os dias, não importa que superfície joga ou que condições existem. Isto não acontecia quando o Federer, Nadal ou Djokovic eram números um do mundo. Eram os favoritos em cada torneio que jogavam, fosse em terra, piso rápido ou relva. Isto não é o caso do Medvedev. Ainda tem um certo caminho a percorrer”, concluiu.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.