Um encontro de 3h50 com 49 pontos de break e 26 quebras de serviço? Aconteceu no Uruguai

Por Bola Amarela - Novembro 19, 2021

Uma absoluta loucura. Já imaginou um encontro de três sets que durou 3h50, com 49 pontos de break e 26 quebras de serviço? Impossível, poderíamos pensar nós. Nada disso. Aconteceu mesmo no Challenger feminino de Montevideu, no Uruguai, com Victoria Jimenez Kasintseva, número um mundial de juniores e 373.ª WTA, a levar a melhor sobre Maria Lourdes Carle (261.ª).

7-6(10), 5-7 e 7-5 foram os parciais de um triunfo que teve contornos absolutamente dramáticos, com 13 breaks para cada lado. O primeiro set, por exemplo, só teve quebras de serviço e até mesmo o tie-break foi uma loucura. Jimenez Kasintseva, de apenas 16 anos, liderou por 6-2, deixou-se apanhar e só fechou a 12-10 ao cabo de… 1h36! A segunda partida teve ‘só’ sete breaks, com a andorrenha a desperdiçar uma vantagem de 2-0 para permitir o empate no marcador.

No terceiro set, o drama aumentou de nível. Depois de dois jogos inaugurais sem breaks (uma novidade), houve uma troca de seis quebras até ao 4-4. Aí, Carle ficou mais perto da vitória, ao fazer o ‘hold’ para avançar para 5-4 e teve dois match points a 15-40. Jimenez Kasintseva aguentou-se, quebrou de seguida e serviu a 6-5 para selar a vitória. Mas até aí houve fogo de artifício. A andorrenha salvou mai cinco pontos de break e só fechou ao terceiro match point numa batalha esgotante rumo aos quartos-de-final.

  • Categorias:
  • WTA
Bola Amarela