Tsonga: «Depois de ganhar a Federer até urinei sangue!»

Por Bola Amarela - Janeiro 15, 2021
Tennis – Monte Carlo Masters – Monaco, 15/04/2016. Jo-Wilfried Tsonga of France (L) shakes hand with Roger Federer of Switzerland following their match. REUTERS/Eric Gaillard

Agora como número 60 do ranking ATP, Jo-Wilfried Tsonga está longe daquilo que já alcançou. Mas a verdade é que o francês viveu mesmo a expressão ‘sangue, suor e lágrimas’ para levar a melhor diante dos melhores do Mundo. Tem dúvidas? É que a história ainda fica mais assustadora quando o gaulês explica o que se passou depois do Masters 1000 de Toronto, em 2014, onde bateu Novak Djokovic Roger Federer rumo ao título.

“Depois da final com o Roger sentia-me totalmente exausto. Lembro-me que fui à casa de banho e comecei a urinar sangue! Assustei-me e chamei o médico, que me disse que devido à fatiga e tensão extremas, tinha rompido algumas fibras musculares e que o meu corpo as expulsava pela urina. Nunca vou esquecer isso nem as batalhas que tive com o Big 3. Foi um orgulho enorme defrontá-los”, referiu o francês, de 35 anos, no programa ‘DipTalk’.

Ainda assim, Tsonga não deixa de largar uma tirada curiosa sobre Federer, Djokovic e Nadal. É que, por muito que tenha gostado de jogar contra todos eles, preferia… que isso não tivesse acontecido. “Vamos lá ser honestos. Adorava que eles não tivessem existido. Quando estás na elite ano após ano e vês que podes chegar ao top 5 mas que não passas dali porque estão eles a frente, perguntas-te onde serias capaz de chegar se não tivesses coincidido com eles”, sustenta.

Como se não bastasse, desanimava mal começava a ver quem podia apanhar nas fases adiantadas de um torneio. “Havia momentos em que me sentia bem em campo, ganhava nos ‘oitavos’, mas depois olhava para o quadro e era impossível não ficar triste. Nos ‘quartos’ apanhava um deles e o mais provável era que, se ganhasse, ia jogar contra outro e na final contra o terceiro. Aí pensas logo que ser campeão seria um milagre!”, rematou.

Bola Amarela