Trungelliti: «A minha avó estava no banho quando lhe disse que tínhamos de voltar a Paris. Ela nem percebeu quando eu tive match point»

Por admin - 28 Maio, 2018

Marco Trungelliti, o protagonista da grande história da semana em Roland Garros, teve esta segunda-feira horas da sala principal de conferências de imprensa em Paris e a sua conversa com os jornalistas não desiludiu. O argentino, que fez 1000km no domingo, de carro, desde Barcelona até Paris para ‘agarrar’ o estatuto de oitavo lucky loser da prova gaulesa e não só chegou a tempo como… derrotou Bernard Tomic rumo à segunda ronda.

“Estava com a minha família em Barcelona e tínhamos alugado uma carrinha para visitar a cidade e as redondezas. Estava com a minha mãe e a minha avó — que estava a tomar banho — quando me disseram que tinha de voltar a Paris porque havia fortes hipóteses de competir em Roland Garros como lucky loser. E assim fizemos. Pegámos no carro, porque havia muitos voos cancelados, e pusemo-nos a caminho”, confessou o argentino, de sorriso no rosto.

Trungelliti falou admite que dormiu muito pouco. “Parámos para jantar a meio da viagem e chegámos pela meia-noite. Dormi cinco horas e às 7h30 já estava no clube. A experiência foi muito engraçada e ter a minha avó em court também. Ela não percebe nada de ténis, não sabe contar os pontos, nada. Ela disse-me que só percebeu que eu ganhei quando viu toda a gente a bater palmas”, brincou o argentino.

O lucky loser argentino, que derrotou Pedro Sousa na segunda ronda da fase de qualificação, vai agora defrontar o italiano Marco Cecchinato na segunda eliminatória.