Treinador de Isner é condenado por agressões e terá de apanhar lixo das ruas

Por José Morgado - 26 Fevereiro, 2019

Justin Gimelstob, treinador de John Isner que passou pelo top 100 mundial enquanto jogador, foi condenado esta terça-feira por agressões nas ruas de Los Angeles, numa investigação que dura desde dezembro e que, de forma natural, levou ao afastamento do norte-americano não só a box de Isner como do Tennis Channel, onde fazia comentários.

O norte-americano de 42 anos evitou qualquer tipo de pena de prisão, mas terá de trabalhar na recolha de lixo da cidade durante 45 dias. O juiz considerou que os antecedentes de Gimelstob indicam que ele é, em teoria, um agressor de ‘uma só vez’, ainda que o treinador de Isner também tenha sobre si denúncias de… violência doméstica.

Lleyton Hewitt, antigo número um mundial, pediu medidas contra Gimelstob, mas Isner saiu em defesa do seu treinador, lembrando o passado racista do australiano. O técnico integra ainda o Conselho de Jogadores do ATP, que decidiu em janeiro mantê-lo em funções enquanto não houvesse novidades quanto à sua (eventual) condenação.

José Morgado
Jornalista do Jornal Record e Comentador Sport TV. Ténis 24/7.