Soderling: «É muito difícil não pensar no que podia ter sido a minha carreira se continuasse a jogar»

Por Nuno Chaves - Dezembro 15, 2018
Ele planeia regressar em 2016 mas ainda não há certezas de nada. A verdade é que, desde 2011, Robin Soderling tem passado maus bocados com a mononucleose.

Robin Soderling, antigo top 4 mundial e vencedor de 10 títulos ATP, era apontado como um dos grandes nomes do ténis mundial atrás de Roger FedererRafa Nadal e Novak Djokovic. O sueco retirou-se de forma oficial em 2015 devido a uma mononucleose gravíssima mas o último encontro no circuito foi em 2011.

Soderling, que teve como um dos momentos mais altos a vitória frente a Nadal em Roland Garros 2009, falou sobre a sua carreira. “Agora é fácil falar mas pensei muito no que poderia ter sido. Quando me retirei estava com um grande ranking e vencia muitos dos tenistas que agora fazem finais ou ganham Grand Slams como o Wawrinka, Cilic ou Nishikori. É muito difícil não pensar no que podia ter acontecido se continuasse a jogar”, revelou num Podcast.

O antigo jogador de 34 anos falou sobre os anos de 2009 e 2010 em Roland Garros, datas em que atingiu a final da prova. “As pessoas podem dizer que ganhar ao Rafa foi melhor (venceu na 4.ª ronda em 2009) mas o que mais estou orgulhoso é de ter defendido a final no ano seguinte. A primeira final alcancei do nada. Era número 20, não tinha passado a 4.ª ronda em nenhum Grand Slam e de repente chego à final. No ano seguinte fui capaz de fazer o mesmo”, afirmou.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.