Safin: «Nunca gostei de ténis. Só fui tenista por obrigação»

Por Tiago Ferraz - Julho 7, 2020
marat-safin

O russo e antigo número um mundial Marat Safin deu uma entrevista à Eurosport onde falou um pouco sobre a sua família e sobre as suas paixões que, pelos vistos, passavam bem longe da modalidade da bola amarela.

“No ténis a nível de família eram só as irmãs Williams, mas nunca tivemos um homem e mulher da mesma família a liderar o ranking mundial. O mérito é da minha mãe. Ela foi jogadora, chegou às meias-finais em Roland Garros em juniores, foi treinadora e criou-nos como tenistas. Foi uma maravilha para a minha mãe ver os seus dois filhos a número um. Eu só lhe peço que dê valor a isso. Tem que ser a mãe mais feliz do mundo”, revela, citado pelo Punto de Break.

Marat Safin teve uma revelação surpreendente:

“No que me diz respeito, eu nunca gostei de jogar ténis, não me sentia bem, tinha pressão e só o fazia por obrigação. Obrigavam-me a jogar. A minha paixão e o que queria ser era jogador de futebol. Jogar ténis sempre foi contra a minha vontade. A minha carreira foi um milagre”, disse.

 

Tiago Ferraz
Jornalista de formação, apaixonado por literatura, viagens e desporto sem resistir ao jogo e universo dos courts. Iniciou a sua carreira profissional na agência Lusa com uma profícua passagem pela A BolaTV, tendo finalmente alcançado a cadeira que o realiza e entusiasma como redator no Bola Amarela desde abril de 2019. Os sonhos começam quando se agarram as oportunidades.