Rune já resolveu problemas das cãibras: «Um Ferrari sem combustível não serve para nada»

Por Pedro Gonçalo Pinto - Novembro 27, 2022

Holger Rune fechou a temporada de forma brilhante, com grande destaque para a caminhada que acabou com o título no Masters 1000 de Paris. Mas algo que se tornou a certa altura ‘famoso’ foi ver o dinamarquês sofrer com cãibras quando um encontro ficava muito longo. Ora, é o próprio quem garante que esse problema está resolvido… e de forma muito simples.

“Sou calmo e até um bocadinho preguiçoso. Não ando muito stressado. Mas é importante comer bem e dormir bem durante a época. Se não tiver energia, o motor vai rebentar. Tenho um plano de nutrição, então recebo o que preciso. Descobrimos que que não punha nem metade do açúcar e do sal que precisava nos encontros e por isso é que colapsava e tinha cãibras. Nã sabia que coisas dessas faziam tanta diferença. O meu treinador diz que um Ferrari sem combustível não serve para nada e tem razão. Então tenho cuidado com o que como, embora adore pizza de pepperoni e também gelado!”, confessou ao Twitter do Relevant Tennis.

Questionado sobre o que tem de melhorar, Rune deixou algo bem claro. “Ainda estou a crescer, então o meu serviço vai tornar-se mais fatal. Estou a trabalhar para ser mais preciso. Quando treino com o Novak Djokovic, impressiona-me sempre por ele ser tão preciso. Estou a trabalhar nisso, no meu spin, em muita coisa. No ano passo não me interessei muito pelo serviço e focava-me nas trocas de bola, mas com o avançar da época quis servir melhor. Estou a estudar muito”, referiu.

Pedro Gonçalo Pinto
Comentador Sport TV e ligado ao Jornal Record. Ténis acima de tudo.