Raducanu: «Vejo a final na televisão e nem acredito que sou eu que estou ali a jogar…»

Por Pedro Gonçalo Pinto - Setembro 17, 2021

Os dias passam mas Emma Raducanu ainda não acredita na incrível história que escreveu em Nova Iorque. Com apenas 18 anos e na altura no 150.º posto do ranking WTA, a jovem britânica brilhou para conquistar o US Open, tornando-se na primeira qualifier da história a vencer um título do Grand Slam, ainda por cima sem perder qualquer set. Raducanu tem dado inúmeras entrevistas, mas agora confessou que já reviu a final… e ficou pasmada.

“Vou assimilando o que se passou de forma gradual. Há umas noites pus-me a ver a de novo e tentei reviver alguns momentos e voltar a pensar como me senti e como estava. A verdade é que vejo a final na televisão e nem acredito que sou eu que estou ali a jogar… Sabia perfeitamente o que ia acontecer, mas mesmo assim fiquei muito tensa! Fiquei muito orgulhosa por ver como resolvi os problemas em court”, sustentou, antes de soltar uma frase curiosa: “A experiência foi um autêntico tornado. Amei cada momento. É algo tão complexo que ainda não compreendo verdadeiramente.”

Por outro lado, Raducanu foi questionada sobre os seus sonhos. E a resposta mostrou enorme maturidade. “Se não fosse tenista, se fosse médica por exemplo, gostaria unicamente de inspirar as crianças que sonhem alto e a pensarem que tudo pode acontecer. Quero deixar-lhes uma mensagem. Podes ser uma criança normal, que vai à escola, que faz coisas normais, e alcançar resultados enormes no que fizeres. Essa é a minha principal mensagem para os mais novos”, afirmou.

  • Categorias:
  • WTA
Pedro Gonçalo Pinto