Pella: «A relva está mais lenta e ainda bem. Antes era só para servidores»

Por José Morgado - 11 Julho, 2019
pella-ponto

Guido Pella, uma das grandes sensações do torneio de Wimbledon 2019, caiu nos quartos-de-final da prova diante do espanhol Roberto Bautista Agut e no final do encontro deu a sua opinião sobre as sensações de muitos tenistas em relação à maior lentidão da relva face a anos anteriores.

“Em relação a outros anos que joguei aqui… está mais lenta, sem dúvida. Agora é relativamente fácil trocar bolas da linha de fundo. Mas ainda bem que está mais lenta. Antigamente a relva era quase só para servidores. Jogadores como o Ivo Karlovic, por exemplo, já não têm a vida tão facilitada aqui. Os courts tornam-se mais lentos a cada dia, vão ficando sem relva e jogamos quase como se fosse em terra batida”, assumiu o argentino de 28 anos.

Pella admite que não foi fácil controlar a atenção mediática e as expectativas que teve colocadas sobre si depois de bater Raonic nos oitavos-de-final. “É claro que foi uma grande vitória e dias de grande alegria, mas por outro lado não foi fácil. Recebi milhões de mensagens e dei centenas de entrevistas. Foram dias muito felizes para o ténis argentino, porque tirando o Del Potro ninguém tem jogado bem aqui. Ficaram todos muito contentes por mim e é normal…”

José Morgado
Jornalista do Jornal Record e Comentador Sport TV. Ténis 24/7.