Pela primeira vez desde 2008: quatro adolescentes no top-100

O circuito masculino não tem sido brando para com os jovens que têm tentado furar as fronteiras de um top-100 que continua a ser dominado pela experiência e o nível elevado dos jogadores mais velhos, cuja média de idades ronda os 28 anos. Isso é ponto assente, mas não menos verdade é que não há limites que resistam a muito talento, contínuo e árduo trabalho e alguma rebeldia de quem se recusa a contentar-se com um lugar no top-200.

A mais recente prova disso chama-se Alexander Zverev. O alemão de 18 anos saltou da 105.ª para a 85.º posição da tabela classificativa esta segunda-feira, aumentando para quatro os adolescentes presentes no top-100 do ranking ATP. Borna Coric (53), Hyeon Chung (69) e Thanasi Kokkinakis (83) completam o lote dos miúdos-maravilha da atualidade.

Olhando para trás, há sete que a hierarquia mundial masculina não recebia tanto sangue novo de uma só vez. A última vez que quatro adolescentes se reuniram no top-100 foi em agosto de 2008 e os seus nomes são tudo menos desconhecidos: Juan Martin del Potro (17), Marin Cilic (31), Ernests Gulbis (40) e Donald Young (99).

Ainda no top-300, mas já a dar sinais de que muito tem para mostrar surge outro adolescente. O russo de 17 anos Andrey Rublev, campeão júnior de Roland Garros no ano passado e atual 229.º do ranking, está numa série de cinco vitórias (e zero derrotas) em provas ATP esta temporada, um feito que não se repetia desde 2004, então alcançado por Rafael Nadal.