Panatta: «Federer é uma mistura de Pink Floyd, Paul McCartney e Tony Bennett: um espetáculo»

roger-federer

Roger Federer aos 37 anos continua a receber diversos elogios praticamente de forma diária. O histórico Adriano Panatta lançou a sua autobiografia, que se chama O ténis é música e falou sobre o campeoníssimo.

As comparações do italiano foram… originais. “O Federer continua a surpreender-me hoje em dia. É uma mistura de Tony Bennett, Paul McCartney e Pink Floyd: um espetáculo”, afirmou a glória transalpina.

Quanto a Rafa NadalNovak Djokovic, Panatta é mais crítico. “O Nadal joga forte e compete muito bem, o Djokovic recupera tudo mas o seu jogo é chato. São rapazes jogam muito bem mas são como mulas que atacam com muita força. Nos meus tempos era diferente. Fazíamos poesia”.

“Nos anos 70 o ténis era Pop. Tínhamos os Beatles, Jimi Hendrix, rock e melodia. Agora não se percebe nada. É tudo elétrico e metal”, afirmou em entrevista ao Quotidiano.