Nadal não gosta do ténis atual: «Prefiro o desporto em que dava para preparar as jogadas…»

Por Pedro Gonçalo Pinto - Novembro 23, 2022

Rafael Nadal não gosta do ténis que se joga hoje em dia. O espanhol confessa que não se pode queixar tendo em conta que se tem conseguido adaptar ao ponto de ser o número dois do Mundo, mas não deixa de criticar o estilo parecido que quase todos os tenistas têm atualmente.

MUDANÇA DE GERAÇÃO

Tal como nós estivemos no topo nos últimos 18 anos, no passado estiveram Borg, Vilas, Connors, McEnroe, Sampras, Agassi, Lendl… e agora somos nós. Não há ninguém que seja mais importante que o desporto em si. Cada ano haverá quatro campeões do Grand Slams, múltiplos campeões de torneios históricos como os Masters 1000, mas é verdade que coincidimos três jogadores a fazerem coisas que não foram feitas no passado. A geração seguinte tem de ir trilhando o seu caminho, o tempo vai gerar outras grandes estrelas, embora já tenhamos novos jogadores que venceram Grand Slams. Aqui temos o Casper, que está a fazer as coisas muito bem há vários anos e não só tem um grande presente como um grande futuro.

ESTILO ATUAL

Como espetáculo, gostava de ver um ténis que oferecesse mais oportunidades e mais estilos diversos de jogo. Pela forma como se joga e por como estão feitos os courts e as bolas, a maioria dos tenistas tem um estilo muito parecido. Com a velocidade a que se joga e as condições existentes, há muito pouca margem para ter uma tática ou um pensamento diferente. Tudo acontece demasiado rápido para se poder pensar como acontecia em terra batida. O ténis mudou. Quando eu cheguei ao circuito jogava-se de forma diferente o Big Three adaptou-se para continuar a ser competitivo. Não me posso queixar, as coisas têm corrido muito bem, mas prefiro o desporto em que dava para preparar as jogadas.

Pedro Gonçalo Pinto
Comentador Sport TV e ligado ao Jornal Record. Ténis acima de tudo.