Murray: «Podia ter trabalhado muito melhor, mas perdi motivação»

Por Tiago Ferraz - Dezembro 3, 2020
murray

O tenista britânico e antigo número um mundial Andy Murray tem passado por muitas dificuldades nos últimos anos devido a sucessivos problemas físicos que o tem impedido de regressar porventura à forma que o levou ao topo do mundo do ténis.

Numa entrevista ao canal de Roland Garros Andy Murray fala do momento em que a motivação foi embora:

“Houve definitivamente momentos nos últimos anos em que perdi essa vontade e essa motivação devido às lesões e não estava a trabalhar de forma tão veemente como precisava. Penso que à medida que envelheces claro que ficas com algumas coisas que podes fazer de forma diferente, mas quase que precisas de trabalhar mais para te manteres em forma e ter mais sessões de fisioterapia”, ressalvou.

Andy Murray lembra a altura em que tocou no topo do ténis mundial e diz o que fazia nessa fase:

“Até posso não voltar a ser número um do mundo, mas quero fazer tudo o que fiz quando era número um do mundo, mas quero fazer tudo o que fiz quando era número um do mundo para ter a melhor visão acerca de até onde poderei ir. Fui incrivelmente profissional, trabalhei muito, comi bem e dormi bem. Algo que aparentemente é simples foi o que me permitiu alcançar o meu melhor nível”, disse, citado pelo Punto de Break.

Tiago Ferraz
Jornalista de formação, apaixonado por literatura, viagens e desporto sem resistir ao jogo e universo dos courts. Iniciou a sua carreira profissional na agência Lusa com uma profícua passagem pela A BolaTV, tendo finalmente alcançado a cadeira que o realiza e entusiasma como redator no Bola Amarela desde abril de 2019. Os sonhos começam quando se agarram as oportunidades.