Murray: «Grand Slams a 5 sets? Se fosse fã de ténis não ficava sentado a ver na TV»

Por Tiago Ferraz - Novembro 23, 2020
murray

O tenista britânico e antigo número um mundial Andy Murray esteve à conversa com o francês Gael Monfils onde falou de vários assuntos entre os quais está o mais recente debate: Grand Slams devem manter-se à melhor de cinco sets?

Com efeito o britânico diz o que defende quanto a este tema e explica a sua visão:

“Como jogador sempre preferi jogar à melhor de cinco sets. Como adepto, a menos que tenhas bilhetes para ver o encontro ao vivo, não podes ver encontros tão longos. Como adepto, pessoalmente, eu nunca estaria sentado a ver um encontro à melhor de cinco sets do início ao fim. Não o faria. O nível nem sempre é assim tão bom durante as quatro horas de encontro. Há alguns encontros em três sets que são brilhantes porque os jogadores sabem que podem dar tudo por cada ponto”, salientou, citado pelo Punto de Break.

Andy Murray revela ainda o que aconteceria, na sua ótica, se os Grand Slams passassem a ser jogados à melhor de três sets:

“Se os Grand Slams fossem jogados à melhor de três sets teríamos, provavelmente, muito dos melhores tenistas do mundo a jogar também na variante de pares. No circuito feminino vê-se muitas das melhores tenistas do mundo que também jogam pares e pares mistos”, disse.

O britânico comentou ainda o ‘desaparecimento’ dos juízes de linha e não está muito a favor da medida:

“Uma das minhas principais preocupações é que a maioria dos juízes de linha não poderiam voltar a fazer o que fazem com o novo sistema (eletrónico)”, rematou.

Conheça aqui a história de um dos melhores tenistas de todos os tempos que, infelizmente, tem sido fustigado com lesões.

Tiago Ferraz
Jornalista de formação, apaixonado por literatura, viagens e desporto sem resistir ao jogo e universo dos courts. Iniciou a sua carreira profissional na agência Lusa com uma profícua passagem pela A BolaTV, tendo finalmente alcançado a cadeira que o realiza e entusiasma como redator no Bola Amarela desde abril de 2019. Os sonhos começam quando se agarram as oportunidades.