Medvedev arrasa organização do Australian Open: «Não sei o que fazer para jogar no Court Central…»

Por Nuno Chaves - Janeiro 24, 2022
Foto: EPA

Daniil Medvedev qualificou-se para os quartos de final do Australian Open mas teve um dia marcado por vários momentos de irritação – e que até envolveram o seu adversário.

O descontentamento do russo parece não ter ficado apenas dentro do court e, mais tarde, quando foi para a conferência de imprensa deixou mais críticas, desta feita… à organização.

“Hoje estive muito chateado por vários motivos. Estou a trabalhar em mim mesmo e é por isso que pude ganhar e manter a compostura porque senão ficava muito mais louco. Hoje não me senti bem por várias razões”, garantiu, antes de começar a disparar.

“Não sei o que tenho de fazer para jogar no Court Central em Grand Slams, já ganhei o último, sou o maior cabeça-de-série aqui e jogar contra o Maxime seria mais fácil na Rod Laver, lá há mais espaço. Quando jogas em courts mais pequenos é mais difícil enfrentar alguém que faz serviço-volley. Em Wimbledon aconteceu o mesmo, nem sequer joguei no Central. Não conto com o último set que fiz com o Hurkacz depois da chuva porque estava escalado para o Court 2 antes”, garantiu.

Depois veio o outro ponto: o toilet break. “Devo dizer que gosto das novas regras. Se vais à casa de banho são três minutos, se vais mudar de roupa são cinco minutos. Gosto, há um limite de tempo e sabes que existe. O que acontece é que quando temos 35 graus e estás na sessão diurna, gostava de mudar de roupa depois de dois sets porque estou molhado, quero mudar de calções, roupa interior, meias, sapatilhas. Para isso preciso de quatro minutos e precisava também de fazer as minhas necessidades depois do primeiro set”, reforçou.

“Não vejo nenhuma lógica e só posso classificar como estúpido. A regra é que se usas todos os teus toilet breaks podes ir à casa de banho no minuto que tens quando há uma mudança de lado. Perguntei ao árbitro e ao supervisor: ‘Posso ir nesse minuto e meio que tenho entre sets para mudar de roupa para que ainda tenha um toilet break disponível para mudar caso haja um quinto set?’. Sabia que ia ter de voltar a mudar de roupa, estamos com 35 graus. Pois não, esse tempo devia contar. Queria fazer nesse minuto e meio, mudar e não contar como toilet break, mas disseram-me que se fosse mudar tinha de contar. É uma estupidez e como podem ver deixou-me muito irritado. Tudo o que aconteceu depois foi uma consequência disso. Sinto muito pelo Maxime, de verdade. Estava chateado com o dia de hoje”, atirou.

Medvedev deixou ainda mais palavras de desculpa ao seu adversário. “Não estou contente com a minha mentalidade, fui demasiado duro com o Maxime, que realmente fez um grande encontro. Ao mesmo tempo, não sou o único tenista que tenta “meter-se na mente” do seu adversário. Tudo o que aconteceu podia desconcentrar-me a nível tenístico, por isso, quando comecei a gritar com o que não estava contente, tentei mudar o foco e não pensar nisso quando fosse jogar”, concluiu.

Nuno Chaves
Jornalista na TVI; Licenciado em Ciências da Comunicação na UAL; Ténis sempre, mas sempre em primeiro lugar.