Mauresmo: «Cometi um grave erro ao ter aceitado o cargo de capitã da Taça Davis»

Amelie Mauresmo, depois de ter anunciado o início da sua colaboração com Lucas Pouille e ter deixado em definitivo o cargo de capitã da seleção francesa da Taça Davis, deu uma entrevista ao jornal L’Equipe onde abordou toda a situação.

Para a gaulesa, que se ia tornar na primeira mulher a comandar uma seleção da Taça Davis, a decisão só podia ser uma. “Esperei pelo final da Davis para fazer um balanço, já que o novo formato da competição é totalmente diferente e as coisas mudam, quer queiramos, quer não. O Pouille ligou-me na segunda-feira após a final e perguntou-me se podia conciliar o papel de capitã e treinadora dele”, referiu.

“Falei com todos os jogadores e mostraram-se a favor mas cheguei à conclusão de que não era bom juntar as duas funções. Tive que tomar uma decisão complicada e decidi ficar com o Pouille, já que gostei do seu discurso e guio-me sempre por esses sentimentos”.

Mauresmo acabou por confessar que nunca devia ter aceitado o cargo. “Claro que cometi um grave erro em aceitar ser capitã mas já faz parte do passado. Devia ter esperado um pouco mais até que se tomasse uma decisão sobre o formato da competição que ia ter a Taça Davis”, concluiu.