Kohlschreiber e a longevidade de Federer: «Não serve de exemplo…»

Por José Morgado - Dezembro 24, 2019
Kohlschreiber-Federer

Philipp Kolschreiber, veterano tenista alemão, viveu em 2019 a pior época da sua carreira, fechando fora do top 50 pela primeira vez em mais de uma década. Aos 36 anos, Kolschreiber não vê no seu eterno rival Roger Federer — a quem nunca conseguiu vencer — um exemplo na questão da longevidade porque como Federer… não há ninguém!

“Ele não é um exemplo porque ele é um atleta anormal. Joga 12 torneios por ano e continua a ser número 3 do Mundo. É absurdo. Eu também gostava de poder fazer o mesmo, mas não é possível”, confessou, antes de desenvolver a ideia. “Para os tenistas normais, quando jogamos menos começamos a jogar pior. Eu preciso de torneios, quanto mais jogo melhor jogo e preciso de treinar bem. O Federer é diferente“, lembra.

Apaixonei-me pelo ténis na épica final de Roland Garros 2001 entre Jennifer Capriati e a Kim Clijsters e nunca mais larguei uma modalidade que sempre me pareceu muito especial. O amor pelo jornalismo e pelo ténis foram crescendo lado a lado. Entrei para o Bola Amarela em 2008, ainda antes de ir para a faculdade, e o site nunca mais saiu da minha vida. Trabalhei no Record e desde 2018 pode também ouvir-me a comentar tudo sobre a bolinha amarela na Sport TV. Já tive a honra de fazer a cobertura 'in loco' de três dos quatro Grand Slams (só me falta a Austrália!), do ATP Masters 1000 de Madrid, das Davis Cup Finals, muitas eliminatórias portuguesas na competição e, claro, de 13 (!) edições do Estoril Open. Estou a ficar velho... Email: josemorgado@bolamarela.pt